X

Notícias

Adolescente ferido em ataque a escola em Medianeira recebe alta

Notícias
-
18/10/2018 16:10

Bruno Raphael Facundo, de 15 anos, foi atingido nas costas por um tiro e estava internado em Curitiba. Adolescente tem conseguido caminhar com ajuda de um andador

Bruno Raphael Facundo, de 15 anos, foi atingido na coluna e estava internado em Curitiba desde o dia do ataque — Foto: Arquivo pessoal
Legenda da foto

O adolescente Bruno Raphael Facundo, de 15 anos, ferido durante o ataque ao Colégio Estadual João Manoel Mondrone, em Medianeira, no oeste do Paraná, recebeu alta nesta quinta-feira (18).

Bruno estava internado em Curitiba desde o dia 28 de setembro, quando houve o atentado.

Nos primeiros dias ele passou por acompanhamento no Hospital do Trabalhador. No dia 2 de outubro foi transferido para o Centro Hospitalar de Reabilitação, também na capital.

De acordo com o pai do estudante, Éder Facundo, ele está bem e já consegue dar alguns passos sozinho com a ajuda de um andador.

Bruno deve seguir com a mãe em um avião do governo do estado até Cascavel, no oeste. E, um carro da Prefeitura de Medianeira o levará para casa.

Adolescente ferido em ataque a escola em Medianeira deseja perdoar atirador, diz pai
Vídeo mostra adolescente ferido em ataque dando os primeiros passos com um andador

No período em que esteve internado, o adolescente passou por tratamento para recuperar parte dos movimentos do lado esquerdo do corpo, prejudicados pela bala alojada em uma das vértebras na região lombar.

Os médicos descartaram a necessidade de tirar o projétil. Por estar alojado em uma parte óssea, não deve causar danos mais graves.

Com a ajuda de andador, Bruno tem conseguido dar pequenos passos.

Éder Facundo, professores da escola e alguns estudantes serão ouvidos em audiência na tarde desta quinta.

Investigações
Os dois adolescentes de 15 anos, que entraram na escola e atiraram contra outros estudantes, ferindo dois, foram apreendidos no dia do ataque e permanecem no Centro de Socioeducação (Cense) de Foz do Iguaçu.

Vídeos mostram desespero de alunos em escola atacada por adolescente em Medianeira
Segundo a polícia, o atirador vinha sofrendo bullying havia pelo menos cinco anos.

Na casa dele, foram apreendidas mais armas e explosivos.

Na mochila dos suspeitos, a polícia encontrou mais explosivos, uma carta com um pedido de desculpas e recortes com notícias de outros ataques no Brasil e nos Estados Unidos.

G1