X

Notícias

Alfaiate tira medidas de Bolsonaro para o terno da posse presidencial

Notícias, Política
-
02/11/2018 11:52

Segundo ele, Bolsonaro pediu terno azul marinho e camisa branca. Presidente eleito também recebeu em sua casa o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni

— Foto: Reprodução
Legenda da foto

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), recebeu na manhã desta sexta-feira (2) em sua casa na Barra da Tijuca o alfaiate Santino Gonçalves. Bolsonaro tirou as medidas para a confecção do terno que será usado na cerimônia da posse presidencial, em 1º de janeiro.

Santino tem ateliê em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele disse que foi apresentado a Bolsonaro pelo cabeleireiro do presidente eleito. Ainda de acordo com o alfaiate, Bolsonaro pediu terno azul marinho e camisa branca.

“É a primeira vez que tenho contato com o presidente. Vim trazido pelo Max, que já corta o cabelo dele desde que ele entrou para a política. Ele pediu um termo clássico, azul marinho, de tecido italiano, fio 150. A camisa vai ser branca e a gravata é surpresa”, disse o alfaiate, que voltará para tirar novas medidas depois que o presidente retirar a bolsa de colostomia.

Bolsonaro aproveitou a manhã também para cortar o cabelo. Ele recebeu o cabeleireiro Maxwell Gerbatim, paraquedista da reserva. O profissional contou que cuida do cabelo do presidente eleito desde o início dele na política.

“Tem muitos anos, desde que ele era vereador. Ele ia a Madureira, de vez em quando, para cortar o cabelo comigo. Viemos aqui dar um presente para o presidente”, disse Maxwell.

Agenda
A equipe de Bolsonaro não divulgou o restante da agenda do presidente para o dia. O deputado e futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), entrou para uma reunião com Bolsonaro por volta de 9h. Até a última atualização desta reportagem, ele continuava reunido com o presidente eleito.

Bolsonaro e Onyx têm se encontrado diariamente para definir a equipe que formará o próximo governo e nomes para o governo de transição, que passará a funcionar em Brasília a partir da próxima semana.

No início da manhã, o presidente eleito escreveu no Twitter que desautoriza qualquer informação atribuída à “equipe de Bolsonaro” e que, segundo ele, especule sobre temas como recriação da CPMF.

Reportagem do jornal “O Globo” publicada nesta sexta-feira afirmou que a equipe econômica do presidente eleito quer criar um imposto sobre movimentações financeiras, semelhante à antiga CPMF.

G1