X

Notícias

Alvo antigo, desejo e paciência: os bastidores da volta de Moledo para o Inter

Esportes, Nacional
-
11/01/2018 09:00

Zagueiro assinou pré-contrato com vínculo por três temporadas cm o Colorado e só deve desembarcar em Porto Alegre em julho, para defender o clube após a Copa do Mundo

Rodrigo Moledo foi eleito o melhor zagueiro do Campeonato Grego pelo Panathinaikos (Foto: Divulgação)
Legenda da foto

Após uma longa negociação retomada ainda em 2017 e que escorreu pelos primeiros dias de janeiro, o Inter anunciou a assinatura de um pré-contrato com Rodrigo Moledo na tarde desta quarta-feira. O desfecho positivo ao Colorado foi selado com a presença do advogado Felipe Dallegrave na Grécia, para tratar olho no olho com o atleta do Panathinaikos, como última investida na negociação. Mas o acordo por três temporadas com o zagueiro de 30 anos é fruto de um desejo antigo, que demandou paciência e contou com o desejo do atleta para ser concretizado.

Com o pré-contrato assinado, o reforço só deve se apresentar a partir de 1º de julho, quando o vínculo enfim poderá ser ativado, ao término da ligação com o Panathinaikos. A tendência é de que Moledo só vista a camisa colorada após a Copa do Mundo. Mas o Inter ainda mantém esperanças de contar com o atleta antes da metade do ano.

Antes do acordo, o Panathinaikos nutria o desejo de negociar Rodrigo Moledo e fazer caixa com a saída do zagueiro. O PAOK chegou a fazer uma proposta ao seu rival na Grécia e ofereceu vencimentos superiores ao do Inter para seduzir o atleta, que sempre manteve o Colorado como prioridade – tanto que a vontade de defender o vermelho e o branco falou mais alto para selar seu retorno.

A assinatura de vínculo com o Inter, porém, inviabiliza outra negociação. Assim, a diretoria colorada não descarta que o Panathinaikos abra mão de contar com o atleta até o fim do vínculo para evitar o pagamento dos encargos com o jogador. Neste cenário, o zagueiro desembarcaria em Porto Alegre de imediato. O clube gaúcho não pretende fazer investimento para antecipar a liberação.

A chegada de Rodrigo Moledo concretiza um alvo antigo do departamento de futebol colorado. Ainda em janeiro do ano passado, o clube já havia feito uma investida para tentar a contratação do jogador, por empréstimo – que acabou não se concretizando. A persistência foi motivada pela confiança na qualidade e na resposta do zagueiro, velho conhecido do Colorado, dentro de campo.

A diretoria colorada tem convicção de que Moledo renderá em alto níveltanto pelo futebol demonstrado em sua primeira passagem pelo clube – vale citar que o atleta não chegou a atuar em seu primeiro retorno ao Inter – quanto pelo que mostrou em solo grego. O defensor atuou em 64 partidas pelo Panathinaikos, com seis gols anotados, e foi eleito o melhor atleta da posição na temporada passada. O próprio site oficial do Inter destaca que a imprensa grega o elogia por sua “eficiência no jogo aéreo defensivo”.

Além da convicção, a contratação é impulsionada pelo cenário em que o clube está inserido e pelo mercado. O Colorado abriu a temporada com recursos financeiros escassos para fazer investimentos voluptuosos por reforços de “impacto” – o Conselho Deliberativo, aliás, teve de aprovar uma suplementação orçamentária para aprovar as contas do ano passado. E Moledo desembarcará sem custos aos cofres do clube, além dos encargos salariais.

De quebra, a situação financeira delicada faz reduzir o número de opções viáveis no mercado, que aliem qualidade e uma situação negocial dentro da realidade do clube. Há o entendimento interno de que os demais atletas do mesmo nível de Moledo demandariam um investimento incompatível com a conjuntura atual.

A idade avançada do jogador (30 anos) também não foi entrave para firmar um contrato por três anos. A diretoria usa como exemplo a dupla Juan e Réver, titulares no Flamengo com 38 e 33 anos respectivamente. Curiosamente, ambos são jogadores que deixaram o clube para firmar contrato com o Rubro-Negro – Réver, aliás, tem vínculo com o Inter.

Essa será a terceira passagem de Rodrigo Moledo pelo Beira-Rio. Nas duas anteriores, o zagueiro soma 91 duelos, com cinco gols marcados, embora tenha ficado sem entrar em campo na segunda oportunidade pelo time principal.

GE