X

Notícias

Áudio onde empresários cerqueirenses são acusados de sequestro de crianças para rituais satânicos é mentira

Notícias, Policial
-
26/09/2018 14:12

Áudio relacionando os empresários e um ex funcionário a um caso de sequestro de uma criança para sacrifício em ritual, circula há alguns dias através de aplicativos de mensagens

Foto: Reprodução WhatsApp
Legenda da foto

Circula há alguns dias um áudio e fotos onde se relaciona a empresários cerqueirenses a casos de sequestro de crianças para serem usadas em rituais satânicos. a informação sobre os fatos chegaram a equipe do Fronteira online na manhã desta quarta-feira, 26.

Logo após tomar conhecimento de tais fatos, nossa equipe entrou em contato com o comandante da unidade Regional XII da Polícia de Bernardo de Irigoyen, quem afirmou que tratasse de uma mentira. “Houve uma abordagem de rotina e identificação dos ocupantes do veículo na Ruta Nacional 101, em Bernardo de Irigoyen, mas nada que indicasse algum tipo de crime foi constatado. Na oportunidade os ocupantes do carro informaram aos policiais que tinham ido até um rio nas proximidades, sendo que nada irregular foi constatado”, afirmou Juan Fernandez, chefe da polícia.

O momento da abordagem foi registrado por alguém que passava pelo local, e que logo após disseminou um áudio onde afirma que os ocupantes do veículo em conluio com os empresários cerqueirenses, estariam levando a criança que aparece nas imagens para um suposto ritual satânico. Fato que foi negado pelas autoridades, que garantiram que a abordagem não passou de uma atividade rotineira das equipes da polícia da UR XII.

Nossa equipe também conversou com os empresários citados no áudio os quais garantiram que tudo não passa de uma invenção, e que tem causado transtornos as vítimas.

O caso será investigado para chegar ao responsável pela divulgação da falsa informação.

Vale destacar que acusar indevidamente alguém de um crime atinge, simultaneamente, a integridade do indivíduo falsamente acusado e a sociedade como um todo, e é crime, tipificado no Art. 138 CP.

Fronteira Online

CP – Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940

Art. 138 – Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:

Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.