X

Notícias

Boca acaba com sonho do Palmeiras na Libertadores e faz ‘maior final da história’ contra o rival River Plate

Esportes, Internacional
-
01/11/2018 16:48

O Boca Juniors está na final da Libertadores!

Foto: reprodução
Legenda da foto

Nesta quarta-feira, o time argentino empatou por 2 a 2 com o Palmeiras no Allianz Parque e avançou na semifinal com 4 a 2 no agregado, já que havia derrotado o adversário por 2 a 0 em Buenos Aires.

Com isso, acaba o sonho do Verdão em conquistar o bi do torneio continental.

O primeiro vilão da noite palestrina foi o centroavante Ábila, ex-Cruzeiro. Aos 18 da primeira etapa, ele recebeu cruzamento de Villa, antecipou a marcação de Luan e completou para as redes de Weverton.

Na segunda etapa, o time da casa conseguiu a virada com gols dos zagueiros Luan e Gustavo Gómez em 15 minutos, e deu esperanças aos torcedores.

No entanto, o atacante Benedetto, que havia feito dois na partida de ida, foi novamente o carrasco aos 25. Em um disparo cruzado de fora da área, ele venceu Weverton e ratificou a classificação argentina.

Agora, o adversário dos xeneizes na decisão será ninguém menos que o rival River Plate, que, na última terça-feira, eliminou o Grêmio ao vencer por 2 a 1, em Porto Alegre.

Não à toa, na Argentina o jogo já é tratado como “a maior final de todos os tempos” na Libertadores.

Na sequência da temporada, o Palmeiras recebe o Santos, no sábado, às 19h, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Verdão é o líder da competição, com 4 pontos de vantagem sobre o Flamengo.

Também no sábado, às 20h, o Boca joga em casa contra o Tigre, pelo Campeonato Argentino.

O JOGO

Empurrado por sua torcida, que encheu o Allianz Parque, o Palmeiras tentou ensaiar uma pressão nos minutos iniciais. No entanto, sofria com um verdadeiro “perde e ganha” de bolas no meio-campo, enquanto o árbitro Wilmar Roldán evitava ao máximo marcar faltas para os dois lados.

Aos 9 minutos, mistro de alegria e decepção: Deyverson recebeu pela direita e enfiou para Dudu, que deixou a marcação e cruzou para Bruno Henrique completar para a rede de Rossi.

Todavia, após consulta ao VAR, constatou-se que Deyverson estava impedido na origem da jogada, e o tento foi anulado pela arbitragem.

Logo na sequência, a zaga alviverde se desconcentrou e, após lançamento na área, Ábila apareceu livre para empurrar praticamente na pequena área. Bem posicionado, Weverton fez a defesa em cima da linha e salvou o Verdão.

Só que, aos 18, o arqueiro palestrino nada pôde fazer: Villa recebeu em velocidade pela direita e centrou para o matador, que antecipou a zaga e completou para o fundo da rede, deixando os argentinos ainda mais confortáveis na semifinal.

O Palmeiras tentou não desanimar e chegou bem no lance seguinte, com Dudu cruzando e Bruno Henrique cabeceando bonito. No entanto, a bola passou ao lado da trave xeneize.

Aos 25, em mais uma jogada aérea, Lucas Lima cobrou escanteio e Gustavo Gómez subiu bem para testar firme, mas Rossi fez grande defesa, sem dar rebote.

10 minutos depois, Dudu, que fazia boa partida, ganhou jogada pela direita e cruzou rasteiro para a área. O zagueiro Magallán se atrapalhou ao tentar afastar e quase fez contra, mas Rossi conseguiu agarrar e evitar.

No último lance importante da primeira etapa, os jogadores do Palmeiras ficaram pedindo bola na mão da zaga do Boca, mas o árbitro apitou tiro de meta com convicção e sequer consultou o VAR.

No segundo tempo, o técnico Luiz Felipe Scolari fez uma substituição logo de cara: tirou Bruno Henrique e colocou Moisés para tentar uma improvável reação – o Verdão precisava fazer quatro gols para classificar.

Felipe Melo tenta desarme durante Palmeiras x Boca Juniors EFE

E assim como no início da partida, o Palmeiras tentou pressionar: aos 2 minutos, Dudu cruzou, Willian furou e Lucas Lima chegou batendo para grande defesa de Rossi, que usou as pernas para evitar o gol.

Pouco depois, porém, o arqueiro não teve qualquer chance: Felipe Melo desviou bola de cabeça e ela sobrou macia para o zagueiro Luan, que chegou fuzilando por baixo das pernas do argentino para empatar.

Foi a senha para os comandados de Felipão se animarem e irem para cima. Aos 15, Dudu foi derrubado na área e o juiz marcou o pênalti. Gustavo Gómez bateu muito bem e virou o placar para enlouquecer o Allianz Parque.

Só que o ímpeto alviverde foi cortado aos 25: Benedetto, que havia entrado no lugar de Ábila, disparou cruzado de longe e venceu Weverton, fazendo seu terceiro gol na série semifinal e tranquilizando novamente os argentinos.

Depois disso, Felipão ainda tentou o “tudo ou nada”, colocando Gustavo Scarpa no lugar de Felipe Melo. No entanto, o Boca controlou o resultado e garantiu sua classificação para a final contra o River Plate.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 2 x 2 BOCA JUNIORS

Data: 31 de outubro de 2018, quarta-feira
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Público: 40.299 pagantes
Renda: R$ 3.829.551,24
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Alexander Guzmán e John Alexander León (ambos COL)
VAR: Julio Bascuñán (CHI)
Cartões amarelos: Felipe Melo, Deyverson, Gustavo Gómez e Luan (PAL); Ábila e Pablo Pérez (BJR)
GOLS:
PALMEIRAS: Luan, aos 8, e Gustavo Gómez, aos 15 minutos do segundo tempo
BOCA JUNIORS: Ábila, aos 18 minutos do primeiro tempo; Benedetto, aos 25 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Gustavo Scarpa), Bruno Henrique (Moisés) e Lucas Lima; Dudu, Willian (Borja) e Deyverson Técnico: Luiz Felipe Scolari

BOCA JUNIORS: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios e Pablo Pérez (Gago); Pavón (Zárate), Villa e Ábila (Benedetto) Técnico: Gustavo Schelotto

ESPN