X

Notícias

Brasil sofre, leva susto, mas vira na marra e supera o México pelo Mundial feminino

Esportes, Internacional
-
08/10/2018 09:08

Seleção demora a se encontrar em quadra diante de rival mais frágil, mas consegue reagir e bater mexicanas. Equipe tem folga nesta terça e volta à quadra na quarta, contra a Holanda

Brasil sofreu para bater o México nesta segunda-feira — Foto: Divulgação/FIVB
Legenda da foto

Era impossível prever qualquer dificuldade. Até a tarde desta segunda-feira, no horário local, o México só havia vencido quatro sets em todo o Mundial. Era o rival perfeito para se desfazer dos erros do dia anterior. Não foi bem assim. Desde o início, o Brasil sofreu – e muito. Mas, aos poucos, conseguiu se encontrar. Na marra, virou o jogo e fechou a partida em 3 sets a 1, parciais 23/25, 25/23, 25/13 e 25/19, pela segunda fase, em Nagóia.

A vitória leva o Brasil aos 16 pontos, provisoriamente em terceiro lugar do grupo E – mais tarde, o Japão encara Porto Rico e pode retomar a posição. A Sérvia, que venceu a Alemanha mais cedo, lidera tranquila, com 21 pontos. As três melhores equipes de cada chave avançam à terceira fase da competição.

O Mundial terá um dia de folga nesta terça-feira. As seleções voltam à quadra na quarta-feira. Em busca da classificação para a terceira fase, o Brasil encara a Holanda, à 1h25 (horário de Brasília), com transmissão do SporTV 2. Antes, às 22h40 de terça-feira, sem mais chances de conseguir uma vaga, o México encara a República Dominicana.

Drussyla foi o grande nome do Brasil no jogo. A ponteira, que ainda não havia tido tanto tempo de quadra, entrou ainda no primeiro set e, aos poucos, mudou a partida. Terminou com 14 pontos, atrás de Tandara, com 25, e Gabi, com 14. Pelo México, três destaques. A capitã Andrea Rangel fez 23 pontos, enquanto a jovem Melanie Parra, de 16 anos, fez 17 pontos. Samantha Bricio, com nove pontos, também foi importante no saque.

Brasil sofre, mas bate o México

Zé Roberto desfez a mudança do dia anterior e mandou Dani Lins à quadra no lugar de Roberta. No meio, Adenízia ficou com a vaga de Carol, enquanto Natália ocupou o lugar de Fernanda Garay, com uma leve contratura nas costas, na ponta. Foi Samantha Brício, porém, quem abriu a contagem para as mexicanas ao explorar o bloqueio brasileiro. As rivais até apareciam bem no ataque, mas falhavam no serviço: os três primeiros saques foram para fora. Ainda assim, na vontade, o México chegou à primeira parada técnica à frente, com 8/5 no placar.

Foi um início lento para as brasileiras. Se tudo indicava m caminho mais tranquilo, as mexicanas quiseram provar que não. Andrea Rangel aparecia bem para manter seu time à frente no placar, abrindo 12/8. O saque forçado também passou a encaixar e neutralizou o início de reação do Brasil. No segundo tempo técnico, o México tinha 16/12 na contagem.

O México disparou e chegou a ter 19/13 no placar. Zé, então, resolveu mudar. Tirou Dani Lins e Natália, mandou Roberta e Drussyla à quadra. Em alguns momentos, a reação até pareceu próxima. No fim, porém, ninguém conseguiu segurar o ataque de Andrea Rangel que fechou o set em 25/23. Foi apenas o quarto set vencido pelas mexicanas em toda a competição.

Drussyla soltou o braço para tentar dar uma resposta imediata na volta à quadra. Os problemas, porém, seguiam ali. A seleção tinha dificuldades para bloquear o ataque mexicano. Parecia estar sempre um tempo atrasado. Foi assim que as mexicanas chegaram ao primeiro tempo técnico à frente.

Parecia um susto, mas era mais. As mexicanas, apesar das limitações, eram melhores àquela altura. O Brasil não conseguia engrenar. Adenízia, sozinha no bloqueio depois de uma bola perdida, devolveu a vantagem à seleção, com 11/10 no placar. Mesmo mal, o time brasileiro conseguiu abrir três pontos de diferença e chegou ao segundo tempo técnico em 16/13. Nem a folga fez o Brasil melhorar. As mexicanas voltaram a encostar e ficaram a um ponto do empate por duas vezes: 20/19 e, depois, 22/21. Na terceira chance, aproveitaram, em um ace de Melanie. Na marra, porém, o Brasil fechou em 25/23, com uma pancada de Tandara.

Os erros seguiram para o terceiro set. O passe não encaixava tão bem, o saque saía torto. Sobrava, porém, vontade. As mexicanas largaram na frente, mas o Brasil empatou depois de uma largadinha de Tandara (5/5). No bloqueio de Bia, a seleção chegou ao tempo técnico com 8/5 no placar.

A seleção, enfim, pareceu se encontrar. Muito pelas mãos de Drussyla, que conseguia dar um equilíbrio maior no passe e aparecia bem no ataque. Assim, o Brasil disparou. Em belo ataque de Gabi, o time chegou a 15/6 no placar. O México já não tinha forças para voltar a fazer frente às rivais. Tandara, em mais um ataque, fechou a parcial em 25/13.

Na volta à quadra, o México tentou voltar ao jogo. No início, conseguiu se manter na cola, mas logo viu o Brasil abrir 8/5 antes do primeiro tempo técnico. Em um ace de Ana Valle, as mexicanas conseguiram encostar mais uma vez, com 12/11 contra. Repetiu o feito mais tarde, 15/14, com Melanie. O Brasil, porém, segurou a reação das rivais. Deu tempo até de Thaisa entrar em quadra para fechar o jogo em 25/19.

Confira as escalações:
Brasil: Dani Lins, Tandara, Gabi, Natália, Bia e Adenízia. Líbero: Suelen.
Entraram: Roberta, Drussyla e Thaisa.

México: Sanay Sashiko, Samantha Bricio, Andrea Rangel, Melanie Parra, Monica Moreno e Ana Valle. Líbero: Lizette Robles.
Entrou: Diana Valdez

GloboEsporte