X

Notícias

De virada, Grêmio perde para o River Plate e está fora da Libertadores

Esportes
-
31/10/2018 17:42

No final, Pity Martínez marca de pênalti e garante vaga à decisão da competição sul-americana

Bressan sai de campo aos prantos (Foto: Reuters)
Legenda da foto

O Grêmio está eliminado da Libertadores. Depois de sair em vantagem na noite desta terça-feira (30), na Arena, diante de mais de 53 mil torcedores, cedeu espaço para a reação na segunda etapa e permitiu ao River Plate a virada de 2 a 1, resultado que classifica o time argentino para a decisão contra Boca Juniors ou Palmeiras, que se enfrentam nesta quarta-feira (31), em São Paulo. O segundo gol do River, marcado de pênalti, foi precedido por enorme confusão, que provocou uma interrupção de quase 10 minutos.

Saber sofrer virou chavão no futebol. Trata-se de um modelo de jogo em que uma equipe, assediada pelo adversário, resiste com obstinação, até encontrar espaço para contra-atacar e, quem sabe, fazer um gol. Este roteiro foi cumprido à risca pelo Grêmio no primeiro tempo. Ainda que a torcida, por vezes, tenha ficado aflita ao enxergar, das cadeiras, seu time ceder campo em demasia ao River, Renato dava mostras de saber o que fazia. Ainda mais porque a vantagem obtida no jogo de ida, em Buenos Aires, garantia a classificação às finais com um empate.

Viu-se, então, um River com mais de 60% de posse de bola, algo incomum em se tratando de um jogo do Grêmio na Arena. Com menos de dois minutos, Borré viu-se sozinho na frente de Grohe, mas chutou errado. Aos nove, o goleiro do Grêmio mandou a escanteio chute do veterano Ponzio, que sairia lesionado pouco depois.

Alisson, movendo-se de um lado a outro do ataque, era o único esboço de reação do Grêmio. Aos 11 minutos, pela esquerda, ele chutou rasteiro, para fora. Só que a resposta seria outra vez assustadora, em arremate de Palacios, que Grohe acompanhou com os olhos. Aos 27, depois de nova conclusão de Palacios, o goleiro do Grêmio desbabou no gramado e pediu atendimento médico. Uma forma de fazer seu time respirar. O melhor estava por vir. Aos 35 minutos, Pinola, atrapalhado, mandou a escanteio cruzamento de Cortez. Na cobrança, feita por Alisson, a bola desviou na zaga e ofereceu-se a Leonardo, que, na entrada da área, venceu Armani com um chute a meia-altura: 1 a 0. Funcionava, outra vez, a estratégia que já havia garantido a vitória no jogo de ida, em Núñez.

O River ainda ameaçaria aos 43 minutos, em novo arremate de Borré, que resultou em um choque de Grohe contra a trave. Experiente, o goleiro ganhou novos segundos para arrefecer o ânimo do River. A essa altura, imagens de televisão mostravam Marcelo Gallardo, técnico do River, que cumpria suspensão, descumprir determinação da Conmebol e, com um celular, transmitir orientações para seu auxiliar a seu auxiliar Hernán Buján, na casamata.

A vantagem, que já era larga antes da partida, escancarou-se com a vitória parcial. Para sacramentar a vaga na final, Renato não demorou a tornar o time mais agudo, ao trocar Maicon por Everton e fazer a Arena vibrar com a volta do goleador após 25 dias de afastamento por lesão muscular. Ainda que Scocco tenha entrado para dar mais força ofensiva ao River, o desenho do jogo já não era o mesmo da primeira etapa. No segundo tempo, era o Grêmio quem, à vontade, propunha as ações. E as chances começaram a surgir. Aos 11, Leonardo bateu por cima. Aos 16, Armani defendeu com dificuldade chute de Everton. Aos 21, a mais clara. Lançado por Cícero, Everton avançou entre os defensores e, na frente de Armani, viu o goleiro argentino salvar.

Os minutos finais, contudo, ganharam uma inesperada tensão. Aos 36, depois de cobrança de falta. Borré subiu antes de Jael e venceu Grohe com um forte cabeceio: 1 a 1. Aos 39, em chute de Scocco, a bola desviou na mão de Bressan. Ao consultar o VAR, o árbitro Andres Cunha marcou pênalti e ainda expulsou o zagueiro do Grêmio, que entrou em desespero e quase partiu para a agressão ao uruguaio. Na cobrança, aos 49, Pity Martínez fez 2 a 1 e jogou por terra o sonho do tetra. Agora, resta o Brasileirão para que o caminho de uma nova Libertadores se abra ao Grêmio.

Gaúcha ZH