X

Notícias

Desaparecimento de criança de 3 anos termina após cinco meses de investigações da Polícia Civil de Dionísio Cerqueira

Notícias, Policial
-
15/10/2017 20:51

Pai teria levado a criança para o interior da Argentina sem o consentimento da mãe. Homem foi preso nesse domingo

Foto: Reprodução
Legenda da foto

A Polícia Civil de Dionísio Cerqueira concluiu neste domingo, 15, uma investigação sobre o desaparecimento de uma criança de apenas 03 anos, que havia sido levada pelo próprio pai para local desconhecido.

Segundo informações repassadas pela Polícia Civil, a investigação teve início com o registro de ocorrência do crime de ameaça no âmbito da violência doméstica. Ainda conforme a denuncia o autor, por não aceitar a separação, passou a ameaçá-la.

Após pedido da vítima, foram judicialmente decretadas medidas protetivas em desfavor do autor, inclusive com restrição provisória de visitas ao filho do casal.

No entanto, no dia 24 de abril de 2017, após convencer a vítima a permitir que visitasse o filho, o autor desapareceu, levando a criança.

Foram meses de diligências investigativas até a localização do provável paradeiro de ambos, no interior da República Argentina.

Ao saber de sua possível prisão, o autor retornou ao Brasil, e devolveu a criança a mãe, exigindo que ela levasse o filho até a Polícia Civil e “retirasse as queixas” anteriormente registradas.

De acordo com o delegado foi realizado acompanhamento velado, sendo que os policiais civis lograram na última segunda-feira, 09, quando ele voltou ao Brasil, efetuar a prisão em flagrante, ante a prática dos crimes de ameaça e coação, sendo sua prisão convertida em preventiva pelo Juízo da Comarca.

Ainda segundo as informações a criança estava com sua integridade física preservada.

Além dos crimes que motivaram a prisão em flagrante, o autor ainda foi indiciado pelos crimes de ameaça (cometidos em outras oportunidades), desobediência a decisão judicial, subtração de incapazes e envio de criança ao exterior com inobservância das formalidades legais (crimes previsto no Código Penal e Estatuto da Criança e do Adolescente). Somadas, as penas podem chegar a 15 anos de prisão.

O delegado da Polícia Civil reitera a importância de respeito as Medidas Protetivas de Urgência judicialmente decretadas, “Qualquer descumprimento deve ser imediatamente comunicando as autoridades competentes”.

Fronteira Online