X

Notícias

Desempregados, namorados vendem biscoito em semáforo para pagar casamento

Geral, Notícias
-
11/05/2018 09:52

A iniciativa ganhou apoio das redes sociais e de ídolo do futebol local. Anderson Lima e Luisângela Menezes oficializam a união na próxima quinta, 17

O casal vende biscoitos no semáforo há um mês (Foto: Anderson Lima/ Arquivo pessoal)
Legenda da foto

A união do casal paraense Anderson Lima, 29 anos, e Luisângela Menezes, 24 anos, que será realizada na próxima quinta-feira, 17, terá grande parte dos seus custos bancados pela venda de biscoitos nos semáforos de Belém. Atualmente, ambos estão desempregados, mas encontraram nessa alternativa criativa de conseguir dinheiro uma maneira de realizar o sonho de um relacionamento que começou há dez anos.

Segundo Anderson, a ideia era que a venda de doces nas ruas ajudasse a bancar as despesas, mas iniciativa superou as superou as expectativas do casal. “A ideia de vender biscoitos para o casamento foi dela (Luisângela). Nós começamos isso em março, quando ela ficou desempregada. Eu já vendia biscoitos nas ruas, mas ela fez questão de vir comigo”, lembra Anderson.

Luisângela fala que a ideia inicial do casal era apenas conseguir dinheiro para uma pequena viagem. Mas com a superação das metas de venda e o incentivo de alguns compradores, o sonho de uma cerimônia foi possível.

“Recebemos uma ligação de uma compradora. Ela que nos incentivou a fazer a festa. Ela nos ajudou muito. Conseguimos buffet, maquiagem, local para festa. Tudo com ela”, afirmou Luisângela. De acordo com a noiva, o casal já conseguiu 80% do valor para o casamento,

Reencontro

Anderson conta que a história dos dois já é antiga. O casal se conheceu há dez anos, ainda na adolescência. “Nós nos conhecemos na igreja ainda muito novos. As coisas não deram muito certo. Tivemos outros relacionamentos, casamentos e nos separamos. Ano passado que fomos nos reencontrar”, disse Anderson.

Luisângela diz que na primeira vez que ela e Anderson estiveram juntos, a mãe dela não aprovou a relação. “Eu tinha 14 anos e ele 19. Era muito tímida. A minha mãe não aprovava essa relação por conta da diferença de idade”, declara.

Apesar disso, Anderson conta que a relação com a futura sogra já é amigável. “Ela foi uma das primeiras que aprovou a nossa união. Temos uma convivência muito boa. Melhor impossível. Sempre baseado no amor e no respeito”, comenta Anderson.

Corrente do bem

Além da venda de biscoitos, a ajuda de pessoas que se interessavam pela história do casal foi primordial para que os dois conseguissem realizar o sonho da cerimônia de casamento. Quem foi personagem principal nessa história foi o zagueiro do Paysandu, Diego Ivo. Ele resolveu ajudar o casal e levou a história de Anderson e Luisângela pras redes sociais.

“Nós encontramos o Diego Ivo em um shopping de Belém. Contamos nossa história pra ele, que ficou muito interessado. Ele colocou nossa história na internet e muitas pessoas vieram falar conosco e nos ajudar. Assim começou a corrente do bem”, disse Luisângela

“O Diego Ivo foi muito prestativo conosco. Ele nos deu uma camisa autografada para fazermos um sorteio. Isso ajudou muito na divulgação da nossa história. Além disso, ele nos levou em um jogo do Paysandu para vendemos nossos biscoitos lá. Isso foi um importante pra nossa festa”, afirmou Anderson.

G1