X

Notícias

Diretoria blinda a Chape após série negativa, e Rui Costa fala em “respeito”

Esportes, Nacional
-
24/06/2017 10:09

Diretor executivo defende manutenção de Mancini, confirma negociações de reforços em andamento e tenta explicar momento vivido pela Chapecoense: “A situação nos incomoda”

Chape tem apresentado resultados ruins recentemente (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)
Legenda da foto

Diferente do que acontece normalmente, nenhum jogador da Chapecoense conversou com a imprensa na tarde desta sexta-feira, no CT da Água Amarela. Com o time passando por uma fase delicada, a diretoria optou por blindar o grupo de jogadores e Rui Costa ficou à disposição para perguntas. Mesmo Mancini, que costuma conceder entrevista coletiva no dia, falará apenas no sábado.

Rui Costa evitou entrar em questões polêmicas sobre a má fase do Verdão, defendeu a permanência de Mancini e falou sobre as lesões sofridas por atletas, o que deixa o elenco reduzido.

– Seria um desrespeito ao torcedor se nos calássemos. A situação nos incomoda, nos causa desconforto. Faz parte do dirigente, neste momento difícil fazer as justificativas necessárias. Não poderíamos agir como se nada estivesse acontecendo – destacou.

Para o diretor executivo, a cobrança em cima do elenco acontece em função do futebol que o próprio time mostrou no campeonato. No entanto, reconhece que o desempenho dentro de campo atualmente não é o ideal.

– Estabelecemos um padrão no Brasileiro de altíssimo nível e estamos sendo cobrados por isso, estamos sendo comparados com nós mesmo. A Chapecoense que jogava compactada, com intensidade, que fez grandes jogos, criou um padrão, mas nos últimos jogos não estamos conseguindo reproduzir isso. As razões estão sendo debatidas internamente. Não se percebe no campo falta de entrega.

Mesmo com a fase negativa, Rui Costa defendeu a permanência do técnico Vagner Mancini. O dirigente defendeu que o treinador tem experiência para lidar com a situação e que, mesmo com um time montado no início do ano, já conquistou uma taça pela Chapecoense.

– É um treinador que nos trouxe até aqui, tem um título em três meses, é maduro, sabe lidar com essas situações. Nossa equipe não desaprendeu a jogar, não falta trabalho. Passa por um momento difícil, como outros treinadores do Campeonato Brasileiro.

Sem buscar reforços desde o início da competição, Rui Costa afirmou que existem situações em andamento, mas negou que tenha relação com as últimas derrotas. O dirigente também citou a parte financeira como um elemento que precisa ser considerado.

– Sempre falar de reforços depois de uma derrota como a de ontem é quase uma deslealdade com quem está lá em campo. Estamos monitorando o mercado há muito tempo, ninguém contratou mais no mundo do que a Chapecoense. Temos limites orçamentários, temos que ser criteriosos nas contratações, não vamos contratar para fazer manobra diversionista, para falar apenas do jogador. Temos jogadores monitorados e situações em andamento – disse.

A Chapecoense treina nesta sexta-feira e no sábado para encarar o Atlético Mineiro. Com uma vitória nos últimos cinco jogos, a Chape busca a reabilitação no campeonato no domingo, às 19h (de Brasília), na Arena Condá.

GE/ Fronteira Online