X

Notícias

Do topo ao fosso: Chape tem números de lanterna após perder liderança

Esportes, Nacional
-
29/08/2017 10:14

Desde a quinta rodada, quando foi ultrapassado pelo Corinthians, time somou 15 pontos em 18 jogos. Com 27,7%, aproveitamento é pior até mesmo que o do Atlético-GO, último geral

Com Eutrópio, a Chape fez dez jogos e conquistou 11 pontos no Brasileirão (Foto: Masashi Hara/ Getty Images)
Legenda da foto

A carruagem virou abóbora. O triunfo do Vitória sobre o Coritiba, na noite de segunda-feira, não somente empurrou a Chapecoense para a zona de rebaixamento, mas, principalmente, chamou a atenção para uma queda de rendimento que vai muito além de uma “má fase”. A sensação do início do Brasileirão despencou e entra na parte mais desagradável da tabela com números que fazem o alerta soar alto na Arena Condá: tem a pior campanha desde que deixou a liderança.

Empatada com Vitória e Avaí, e somente a um ponto de Coritiba e Bahia, a Chapecoense ainda não tem motivos para desespero se analisados os números absolutos. Os 25 pontos conquistados, entretanto, têm muito do desempenho acima da curva nas quatro primeiras rodadas: 10 em 12 disputados. De lá para cá, ninguém foi pior que o Verdão, com apenas mais 15 somados e aproveitamento de 27,7%

O recorte passa ser ainda mais considerável se levarmos em conta que se trata de quase um turno inteiro. São 18 rodadas a partir do 6 a 3 para o Grêmio, na Arena Condá, que fez o Corinthians se isolar na ponta e a Chape cair para o quinto lugar. Na sequência, o time perdeu para a Ponte, fora, e venceu o Vasco, em casa, em oscilação compreensível. A série de seis partidas sem vitórias, porém, custou o emprego de Vagner Mancini e deu um banho de realidade de que a briga seria contra a Série B.

Análise: Chape precisa olhar para si e parar de buscar justificativas externas para derrotas

Recortes ao longo da competição também ajudam a mostrar que a Chape precisa melhorar consideravelmente seu desempenho para ter um fim de ano tranquilo. Dividindo o campeonato em grupos de cinco partidas, o Verdão foi surpreendente, com dez pontos e a quinta colocação, na primeira parte, mas esteve no Z-4 em dois dos outros três trechos até a 20ª rodada.

Chapeco Leicester? Zebra inglesa aponta caminhos para a surpresa do Brasileirão

Com somente três pontos, foi a 17ª colocada da sexta até a décima, e a 18ª com quatro pontos conquistados da 16ª até a 20ª rodada. A exceção está nos cinco pontos da 11ª até a 15ª, que renderam um “tranquilo” 14º lugar. Caso mantenha a média deste período, de quatro pontos a cada 15 em jogo, a Chape sequer chegará aos 40 e estará fadada ao rebaixamento. No quinteto atual, um alento: três pontos em dois jogos contra Palmeiras e Avaí (21ª e 22ª rodadas).

Fator determinante nas campanhas que garantiram a manutenção com certa tranquilidade nos últimos três anos, o mando de campo não tem feito a diferença em 2017. Com oito jogos na Arena Condá pela frente, a matemática seria simples: vence sete, chega aos 46 pontos, e fica tranquilo. O aproveitamento de 42,4% nos 11 jogos já realizados, porém, assusta e, se mantido, renderá somente mais dez pontos. São apenas quatro vitórias, com dois empates e cinco derrotas até aqui.

Com a pausa no Brasileirão, a Chapecoense terá tempo de sobra para refletir sobre os próprios erros e buscar soluções. O início surpreendente ainda deixa a situação contornável, mas a entrada no Z-4 mostra que o espaço para os erros acabou. A começar pelas partidas em casa, como a do dia 10 de setembro, diante do Cruzeiro, pela 23ª rodada.

GE