X

Notícias

Em “melhor de quatro”, Chape mira vitória contra o Galo para se reencontrar na Série A

Esportes
-
04/10/2018 16:40

Equipes duelam pela quarta vez em 2018 e vivem momentos diferentes no Brasileirão

Foto: Sirli Freitas/Chapecoense
Legenda da foto

O adversário não é novo, mas a situação é bastante diferente. Pela quarta vez na temporada, a Chapecoense irá encarar o Atlético-MG. Antes, duelou em um jogo pelo Brasileiro e dois na Copa do Brasil. O confronto é equilibrado, sem vencedores no ano, mas com leve vantagem para o Verdão, que eliminou o Galo no torneio mata-mata.

Na última vez que se encontraram, em 2 de junho, no empate em 3 a 3 no Horto, Gilson Kleina ainda era o comandante da Chape – hoje é Guto Ferreira quem dá as cartas na equipe verde e branca. Do outro lado, Thiago Larghi segue no cargo, mas ambos os times perderam peças.

Dos jogadores que iniciaram aquela partida, a Chape teve Apodi e Arthur negociados, enquanto Wellington Paulista foi afastado do time principal. No Atlético-MG, Bremmer e Róger Guedes saíram, e o volante Gustavo Blanco se recupera de lesão.

No histórico recente, vantagem para nenhum dos lados. Foram três partidas terminadas com igualdade no placar. No Brasileirão, chuva de gols em um 3 a 3 muito movimentado, com expulsões, viradas e bom futebol. Na Copa do Brasil, dois 0 a 0, mas com superioridade para a Chape, que eliminou o adversário nas penalidades na Arena Condá.

– Retrospecto não ganha jogo, cada história é uma história. Agora é diferente, um treinador diferente, jogadores diferentes, será um jogo difícil. Eles virão mais cautelosos por saberem que a Chapecoense é forte em casa, eles são perigosos. Não é porque desclassificamos eles na Copa do Brasil que vamos ganhar, não funciona assim – analisou Eduardo.

Os clubes vivem momentos distintos no campeonato. Enquanto o Galo está em sexto e mira a classificação direta para a Libertadores, a Chape tenta sair da zona de rebaixamento – é o 18º colocado. Nos últimos cinco jogos dos mineiros, um revés, três vitórias e um empate. Do lado catarinense, dois resultados positivos e três derrotas.

– Temos que fazer um jogo cauteloso. O Atlético talvez esteja um pouco chateado, até porque não nos venceram, eliminamos eles na Copa do Brasil, mas agora é um momento diferente. Eles vêm em uma fase muito boa na competição e estamos vivendo o contrário. Temos que pontuar de qualquer forma, não podemos mais errar, é fazer um jogo seguro – projetou o lateral.
Rafael Thyere fez o gol que classificou a Chape na Copa do Brasil — Foto: Tarla Wolski/Futura Press Rafael Thyere fez o gol que classificou a Chape na Copa do Brasil — Foto: Tarla Wolski/Futura Press
Rafael Thyere fez o gol que classificou a Chape na Copa do Brasil — Foto: Tarla Wolski/Futura Press

O duelo do próximo sábado não serve para determinar “o melhor de quatro duelos”, mas tem um peso grande pela importância do jogo, principalmente para o Verdão. Um novo tropeço aumenta a pressão sobre o trabalho de Guto Ferreira, questionado pela torcida e imprensa local nas últimas rodadas. Um triunfo, por outro lado, recoloca o time nos trilhos e dá confiança para a partida seguinte, diante do Vitória, na luta direta pela permanência na elite

No ano passado, foi justamente contra o Galo que a Chapecoense deu o primeiro passo da guinada positiva que acabou com a melhor campanha do clube na Série A e a classificação para a Libertadores. Em uma fase parecida da competição, na 29ª rodada, o Verdão venceu fora de casa, por 3 a 2 e não foi mais derrotado na sequência.

Globo Esporte