X

Notícias

Empresa de Santa Catarina que começou como serraria hoje exporta para 40 países

Geral, Notícias
-
05/07/2018 14:10

Fundador visualizou oportunidade de negócio quando percebeu que agricultores do Vale do Itajaí, ao abrirem suas colônias, queimavam a madeira retirada

Empresa tem duas unidades em Ibirama, uma em Lages e outra no estado de São Paulo (Foto: Divulgação
Legenda da foto

O empreendedorismo está na história da família Marchetti, de Ibirama, no Vale do Itajaí. Os patriarcas tinham uma ferraria no interior da cidade e, como era tradição na época, o filho mais velho saia de casa para estudar. Essa tarefa coube a Manoel, o mais velho de 12 irmãos, que foi estudar em Blumenau, onde concluiu o curso de “Guarda Livros”, correspondente a contabilidade.

Ao retornar dos estudos, começou a empreender com um armazém de secos e molhados, mas percebeu que, ao abrirem suas colônias, alguns agricultores derrubavam as madeiras e queimavam, visualizou a oportunidade de transformar esta matéria-prima. Assim, em 1956, já aos 48 anos de idade, constituiu a empresa que leva seu nome, Manoel Marchetti.

Os negócios começaram com uma serraria e, atualmente, seis décadas depois, a empresa fabrica produtos de base florestal, como portas e edificações pré-fabricadas, com comercialização em todo Brasil e exportação para 40 países. De Ibirama, a empresa expandiu, e o parque fabril engloba quatro unidades, duas em Ibirama, uma em Lages, e a última em Sorocaba, no Estado de São Paulo.

Com a expansão dos negócios, a empresa passou a abranger o ciclo completo da madeira: reflorestamento, colheita, industrialização, comercialização e transporte de produtos, o que se tornou um diferencial.

Apesar do crescimento, a administração segue sendo familiar. O atual diretor-presidente, Genésio Ayres Marchetti, mais conhecido por Ayres, é filho de Manoel. A formação, em ciências econômicas, trouxe o conhecimento teórico, que agregou aos conselhos do pai. Segundo ele, os principais: honrar os compromissos e buscar o crescimento constante dos negócios.

De acordo com Marchetti, entre os motivos que explicam a expansão está o esforço contínuo de implementar padrões normativos internacionais, como as normas ISO 9001, NIMF 15, para embalagens, FSC – Forest Stewardship Council, relativa à cadeia de custódia, e NR 15.930, que dispõe sobre o desempenho de portas de madeira.

Além disso, a empresa também aponta como essencial para o sucesso de um negócio a valorização dos colaboradores. Entre as ações implementadas na Marchetti estão parcerias para viabilizar salas de aula e biblioteca, onde os funcionários podem concluir os estudos. Somente de contratações diretas, atualmente a empresa tem 700 colaboradores.

Para se manter no mercado e em ascensão, a empresa também destaca projetos de inovação. “Concluímos este ano um projeto de inovação na fabricação de portas, que além de aumento de produtividade, melhoria da qualidade e geração de economia de matéria-prima, foi um importante aliado no aperfeiçoamento das questões ergonômicas e de segurança dos trabalhadores, decorrente da forma de implantação no layout dos equipamentos contemplados neste projeto”, explica o diretor-presidente.

Conforme Marchetti, já pensando no futuro, também há estudos de mais uma unidade em Santa Catarina.

“A intenção é utilizar o aproveitamento de quase a totalidade de seus recursos de base florestal”, finaliza ele.

G1