X

Notícias

Esta modelo cansou de fingir uma vida perfeita nas redes sociais e decidiu mostrar sua verdadeira aparência

Dicas, Entretenimento
-
02/12/2017 09:20

Homens e mulheres, em geral, tendem a mostrar que vivem uma vida de sucesso nas redes sociais

(Foto: Reprodução / paraoscuriosos.com )
Legenda da foto

Festas, luxo, roupas de marca e corpos perfeitos inundam os perfis. Acontece que além de nos preocupar com nossos próprios sentimentos e experiências pessoais, o que realmente importa é transmitir tudo ao mundo e a verdade é que não o fazemos com sinceridade e modéstia, mas sim ao contrário. Muitas pessoas acreditam que o que é realmente importa é o que os outros acreditam que somos (e que temos).

Acontece que precisamos de um suporte que possa explicar ao mundo aquilo que gostaríamos de ser. Como uma página em branco onde nós criamos, colocamos fotos de momentos felizes e fazemos comentários tolos sobre o quão grande somos e o quão bom está tudo ao nosso redor. Entretanto, em algum momento toda a superficialidade explode, nos cansamos de nos mostrar como não somos e decidimos parar de nos reinventar e criar uma vida idílica. De que importa se é uma mentira? Se os outros acreditam nisso, nós também. A protagonista de nosso artigo ansiava por alcançar algo que sempre quis, então teve que criar uma imagem fictícia.

Lara Kitchen, de Perth, Austrália Ocidental, tinha apenas 14 anos e estava prestes a começar o ensino médio quando começou a perder seu cabelo. Pouco depois, ela foi diagnosticada com alopecia areata e, por anos, esteve lutando para manter a sua saúde mental, tentando aceitar seu diagnóstico. Mas agora, sete anos depois, Lara, de 21 anos, decidiu compartilhar um vídeo de si mesma para incentivar as mulheres a aceitarem as suas imperfeições.

“Meu cabelo começou a cair logo antes de começar o ensino médio e pensei que era devido à tensão. Mas ficou muito pior, até o ponto em que partes inteiras de cabelo iam ao chão”, disse a menina. “Os fios foram caindo pouco a pouco até que fiquei sem nada. Escondi isso por meses, usando lenços e toucas para que os meus colegas não percebessem. Depois de visitar quatro médicos diferentes, um especialista me disse que eu tinha Alopecia areata e que, enquanto os folículos pilosos estivessem em meu corpo, meus cabelos provavelmente nunca mais voltariam a crescer”.

“Por ser uma doença auto-imune, o folículo realmente ataca a si mesmo e é como se meu corpo se machucasse, então meu cabelo dificilmente poderia crescer novamente”, disse Lara. “Na verdade, eu cheguei a perder os cílios e as sobrancelhas junto com os cabelos da minha cabeça”. Diante desta situação, Lara internalizou o diagnóstico e não o reconheceu corretamente até deixar a escola. “Quando eu estava no oitavo ano, as pessoas olhavam muito para mim e eu sofria de muita ansiedade na hora de ir à escola. Sem dúvidas, foi uma época de muito sofrimento”, disse ela.

Em seguida, começaram os rumores de que a menina poderia ter câncer, pois as pessoas costumam relacionar a perda de cabelo com essa doença. Isso foi o pior para a jovem, pois ela não se sentia doente. Ela sabia que seu corpo estava se atacando, só não sabia como lidar com tal situação. Lara contou a seus dois amigos sobre sua alopecia e eles foram com ela em busca de sua primeira peruca. “Eles me fizeram sentir muito confortável. Foi muito assustador porque eu não queria aceitar que tinha que usar uma peruca”, disse ela. Como resultado da alopecia, Lara depois foi diagnosticada com anorexia e teve graves problemas de saúde mental.

“Foi muito difícil quando perdi meu cabelo. Eu não conseguia controlar o que estava acontecendo com meu corpo, mas eu tentei controlar meu peso”, explicou. “Quando eu estava saindo do ensino médio, comecei a pensar sobre o que estava acontecendo e comecei a desenvolver uma depressão muito séria. Passei a maior parte de 2014 em uma clínica privada de saúde mental porque não conseguia lidar com tudo. Em Julho do ano passado, não conseguia mais encarar a minha situação e isso me levou ao ponto mais baixo de minha vida, no qual eu sofri uma overdose de medicamentos prescritos. Eu estive na UTI durante quatro dias em um coma induzido e quase morri”.

Mas foi aí que um milagre permitiu que Lara recuperasse sua saúde e construísse uma visão completamente nova da vida. “Os médicos não sabem explicar como alguém que estava lutando com sua vida consegue sair completamente recuperada como eu”, disse ela. “Algo aconteceu depois disso, e eu estava encarando a minha segunda chance na vida. Eu estou na indústria de modelagem e eu decidi realmente aproveitar a oportunidade que me estava sendo oferecida”.

“Eu quero mostrar às pessoas de qualquer idade que elas têm que aceitar seus defeitos ou simplesmente aquilo que elas têm de diferente do geral. Eu sou careca e essa é minha imperfeição, assim como as outras pessoas acham que têm um nariz torto ou não gostam de seus olhos”. Embora ela ainda esteja se recuperando da anorexia, Lara nunca se sentiu melhor e quer espalhar sua mensagem positiva para o máximo de pessoas que puder. Para cumprir esta missão, ela decidiu fazer um vídeo para a empresa de Freedom Couture, que produz perucas muito naturais por anos.

“Isso foi o projeto mais impressionante que fiz e a empresa queria encontrar alguém para este projeto há cerca de 3 anos. Eu não queria que as pessoas soubessem o que eu estava escondendo, mas numa quarta-feira, percebi que queria mostrar às garotas que também sofrem com a falta de cabelos que é normal usar uma peruca e você pode se sentir linda novamente. Não consigo explicar o sentimento, eu só sinto que tirei dos meus ombros um enorme peso que venho carregando por todo esse tempo”. Lara disse que é enriquecedor saber que está tocando positivamente a vida de outras pessoas e que ela não tem nada para se envergonhar.

“A resposta foi incrível e pessoas que eu nem conheço me disseram o quanto eu sou corajosa e inspiradora. Sempre me achei feia por ser careca, mas nos primeiros dias com minha careca à mostra, eu vi comentários incríveis e percebi que talvez as pessoas estejam corretas e que, na verdade, eu sou linda, com ou sem cabelos. Eu não me via tão corajosa assim e isso é algo que eu queria fazer para ajudar outras pessoas. Eu quero que os outros saibam que eu publiquei isso para mostrar que estou do lado das meninas que estão passando pela mesma situação e por isso eu tento responder a todos que me escrevem”.

Ela também espera encorajar outras pessoas que estão lutando com alopecia ou doenças psicológicas. “Por favor, falem sobre isso. Embora seja difícil conversar com seus amigos, todos têm direito à expressar sua opinião e isso não tem nada a ver com você”, disse ela. “Haverá sempre alguém tentando lhe derrubar, mas falar sobre o assunto é o mais importante e faz muita diferença”. O que você achou da história da Lara?

paraoscuriosos.com