X

Notícias

Flórida tem casos de transmissão local de zika por mosquito

Notícias
-
29/07/2016 14:03
Legenda da foto

Tratam-se de primeiros casos de transmissão de zika por mosquito nos EUA. Quatro casos em Miami e no condado de Broward eram investigados

Autoridades de saúde do estado da Flórida, nos Estados Unidos, reportaram os primeiros casos de transmissão local do vírus da zika por mosquito no território continental do país, segundo a agência Reuters.

O departamento de saúde da Flórida concluiu que quatro casos de zika que estavam sendo investigados no estado foram provavelmente transmitidos por mosquito, segundo o governador da Flórida, Rick Scott. Um dos casos envolve uma mulher e os outros três são homens; as infecções foram detectadas em Miami e no condado de Broward.

Os Estados Unidos já tinham reportado casos de transmissão sexual de zika no território continental do país, mas esta é a primeira vez que casos de transmissão por picada de mosquito são confirmados.

As autoridades de saúde americanas já tinham advertido que era possível que ocorressem surtos locais do vírus da zika no país com a chegada do verão – quando os mosquitos se proliferam mais intensamente – especialmente após a rápida propagação da infecção na América do Sul e na América Central ao longo dos dois últimos anos.

Transmissão por mosquito X transmissão sexual
O zika é transmitido na maioria das vezes pela picada de mosquitos e, em alguns casos, por contato sexual. Em geral, a doença provoca sintomas brandos, e muitas vezes passa despercebida.

O vírus pode provocar, porém, transtornos neurológicos, como a síndrome de Guillain-Barré, ou malformações congênitas graves e irreversíveis, como a microcefalia, que se caracteriza por um desenvolvimento insuficiente do cérebro, em fetos de mulheres que foram infectadas pelo vírus durante a gravidez.

A Flórida já tinha registrado 381 casos de zika, todos eles em pessoas que tinham viajado para países ou territórios onde o vírus está em circulação. O país registrou 12 casos de malformação devido ao vírus.

G1/ Fronteira Online