X

Notícias

Floyd Mayweather defende árbitro: “Estava pensando no futuro do Conor”

Esportes, Internacional
-
28/08/2017 10:47

Pugilista discordou de reclamação do irlandês, de que a luta foi interrompida muito cedo: "Se ele tivesse caído, as pessoas iam perguntar por que o árbitro deixou seguir"

Floyd Mayweather exibe o "Money Belt", cinturão feito em couro de jacaré e cravejado de pedras preciosas, que foi oferecido pelo Conselho Mundial de Boxe ao vencedor de May-Mac (Foto: Evelyn Rodrigues)
Legenda da foto

Conor McGregor deixou o ringue reclamando do árbitro Robert Byrd, que interrompeu o combate no décimo assalto e decretou a vitória de Floyd Mayweather por nocaute técnico na T-Mobile Arena, na luta mais esperada do ano. Para o irlandês, o terceiro homem do ringue poderia ter esperado mais tempo antes de encerrar o combate. O americano, vencedor do duelo e agora dono de 50 vitórias, pensa diferente. Para “Money”, o árbitro fez o certo e pensou na preservação da saúde do seu rival, apenas nisso.
O árbitro estava pensando no futuro do Conor. Você é jovem (Conor McGregor), precisa lutar de novo, ele está salvando você e não a mim. Se você tivesse caído, as pessoas iam perguntar por que o árbitro deixou seguir. Eu falei para vocês, lutei contra os melhores do mundo na minha carreira. Mais de 90% das minhas lutas foram assim. Quando entramos no quinto round, falei para Conor: “Já passou do quarto round e você ainda não me nocauteou. Me mostre a sua força”. Ele brincou comigo. Foi piadista. Mas assim é o boxe. Atletas falam muitas coisas durante a luta, a gente tem que se testar. Ele tem um golpe forte, mas precisa acertar – disse Mayweather em coletiva de imprensa após o combate.
Floyd foi questionado sobre a qualidade de Conor McGregor em cima do ringue. E elogiou o rival que debutava no boxe profissional e vinha de uma carreira inteira no MMA. Para o americano, o “Notório” foi um cara duro, mas citou que como tinha dito, peso e torcida não vencem lutas. – Sabia que ele seria um oponente duro. Que ele iria me testar. E eu disse que viria para cá para a minha vitória de número 50. Ele teve uma luta dura em pé. Isso me chocou um pouco. Eu falei isso com meu pai, tem algumas coisas que nós fazemos…o nosso plano era esperar um tempo, acertar alguns golpes pesados no corpo, no rosto, deixar que ele cansasse. Ele demorou mais do que esperávamos, mas podem acreditar, eu garanti a todo mundo que essa luta não iria até o final. Depois de 21 anos no esporte do boxe, no final das contas, eu sempre vou lembrar desse momento como vencedor – declarou.

O americano também manteve a escolha de encerrar a carreira de uma vez, com 50 vitórias e nenhuma derrota, batendo o recorde de Rocky Marciano, que tem 49 vitórias e nenhum revés. Floyd foi claro ao dizer que voltou ao ringue pelo dinheiro. Contou, também, que agora pretende ficar mais ao lado da família e filhos

– Todos nós fazemos coisas idiotas, mas eu não sou bobo. Se eu vejo a oportunidade de fazer US$ 300 ou US$ 350 milhões em 36 minutos, eu vou aproveitar. Mas saibam que foi a minha última luta. Ele é o “Notório”, eu sou o “Money”, e assim foi. Fomos em quatro cidades, em três países. Vendemos a luta, levamos 100 mil fãs pelo mundo. Fizemos o que tinha que ser feito. US$ 300 milhões são feitos assim – finalizou.

GE