X

Notícias

Fora da Copa, paraguaios de Timão e Bota se reencontram com meta de salvar o ano

Esportes, Nacional
-
23/10/2017 09:04

Únicos da Série A presentes na eliminação do Paraguai nas eliminatórias, Romero, Gatito e Balbuena duelam para esquecer decepção: goleiro busca Libertadores, e dupla corintiana mira título brasileiro

Bruno Cassucci e Thiago Lima
Legenda da foto

A imagem de Gatito Fernández às lágrimas ganhou a capa do jornal paraguaio “La Nación” e rodou o mundo. Mas Romero e Balbuena também estavam lá no Defensores del Chaco no último dia 10: o atacante, em campo, enquanto o zagueiro ficou no banco, mas não tiveram suas tristezas flagradas pelas câmeras após o Paraguai perder em casa por 1 a 0 para a lanterna Venezuela. Jogo onde só precisava de uma simples vitória para garantir a vaga na repescagem da Copa do Mundo.

A última geração do Paraguai foi a quatro Copas consecutivas: 1998, 2002, 2006 e 2010, quando teve sua melhor participação na história ao chegar às quartas de final na África do Sul, quando perdeu para a futura campeã, Espanha, pelo placar mínimo de 1 a 0. Já a atual geração, de Gatito, Romero, Balbuena e companhia, fica fora do segundo Mundial seguido.

Fora da Rússia 2018, os únicos paraguaios da Série A que vivenciaram a decepção no Defensores del Chaco se reencontram no Botafogo x Corinthians desta segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Estádio Nilton Santos. Em comum, uma meta: salvar o ano de terminar triste. Mas para isso, têm objetivos diferentes: Romero e Balbuena miram o título brasileiro, enquanto Gatito busca a vaga na Libertadores do ano que vem para apagar a dor da eliminação.

Apesar da surpreendente temporada do Botafogo em 2017, a campanha pode acabar apagada se não se classificar para a Libertadores de 2018. Gatito e outros jogadores tratam no mínimo a vaga para a Pré-Libertadores como obrigação, por ser o único objetivo do time ainda no ano. As chances que já foram de 77% caíram, mas ainda estão em 64% segundo o matemático Tristão Garcia.

Com o Corinthians praticamente garantido na Libertadores, com vaga direta na fase de grupos, a classificação já há muito tempo palpável não teria a mesma representatividade para Romero e Balbuena. Liderando o campeonato há 25 rodadas, só a confirmação do título brasileiro fará o ano dos paraguaios corintianos ter um final feliz. O que a matemática aponta como 83% provável.

Romero

Artilheiro da Arena Corinthians, com 20 gols marcados, começou o ano muito bem e se firmou de vez como titular da equipe. Porém, não vem em boa fase e vive jejum: o último gol do paraguaio foi no dia 11 de junho, contra o São Paulo, ainda no primeiro turno do Brasileiro. A seca tem rendido críticas da torcida e faz o técnico Fábio Carille cogitar sacá-lo da equipe titular. O camisa 11 está a seis partidas de igualar o colombiano Rincón como o estrangeiro que mais defendeu o Timão.

Gatito

Chegou esse ano ao clube e começou inseguro, sendo inclusive reserva de Helton Leite. Mas após virar herói no Paraguai, defendendo três pênaltis contra o Olimpia e classificando o Botafogo para a fase de grupos da Libertadores, firmou-se de vez, deixando até o ídolo Jefferson no banco. Pênalti, aliás, é o seu forte: já pegou oito só esse ano. Foi eleito por voto popular como o melhor goleiro da Copa do Brasil e é um dos candidatos também ao prêmio da posição no Campeonato Brasileiro.

Balbuena

Depois de oscilar em 2016, seu primeiro ano pelo Corinthians, o zagueiro vive temporada de afirmação. Passou a ser uma das referências do elenco (no rodízio de Carille, é quem mais vezes foi capitão em 2017) e se tornou titular absoluto. Já atuou 53 vezes neste ano e está próximo de completar 100 partidas com a camisa alvinegra (tem 94 jogos). Além de pilar defensivo do líder do Brasileiro, Balbuena tem importância no ataque. Já marcou sete gols pelo Timão, cinco neste ano.

GE