X

Notícias

Fuzis apreendidos pela PF no aeroporto Santos Dumont iam ser entregues no Complexo do Alemão

Geral, Notícias, Policial
-
24/10/2018 15:24

Homem recebeu R$ 100 para retirar a carga no aeroporto e disse aos policiais não saber que a carga era de fuzis

PF apreende 11 fuzis que vieram do Paraná no Aeroporto Santos Dumont — Foto: Divulgação/Polícia Federal
Legenda da foto

A carga de 11 fuzis apreendida, nesta terça-feira, 23, no Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, seria levada para o Complexo do Alemão, na Zona Norte da cidade, segundo a Polícia Federal.

“A nota estava em nome de um homem que tinha como endereço o bairro de Inhaúma. Em depoimento, ele admitiu que levaria a droga para a favela”, afirmou o delegado André Santana, da Delegacia de Repressão à Entorpecentes da PF no RJ.

O delegado contou que o rapaz receberia R$ 100 para levar o carregamento até a comunidade. Os fuzis foram enviados de Cascavel, no Paraná, no interior de uma fritadeira. Além das armas, a polícia também encontrou dois tabletes de cocaína no meio da carga.

Os agentes da PF foram até o setor de cargas com um cão farejadores e acompanhados de fiscais da Receita Federal. No local, o cão descobriu o arsenal e a droga.

Entre as armas, estão nove fuzis do tipo AR-15, de calibre 556, e dois de calibre 762, sendo um AK-47 e outro Fuzil Automático Leve (FAL).

Os agentes fecharam a caixa e aguardaram o destinatário da mercadoria retirá-la no aeroporto. Ele foi preso em flagrante.

O homem, que não teve o nome divulgado, foi autuado pela PF por posse de armas e tráfico de drogas. Ele já foi levado para o Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro, onde passará por audiência de custódia.

Investigação

Segundo o delegado André Santana, já havia um monitoramento aéreo e marítimo para verificar a passagem de armas por aeroportos e portos vindas do Paraná. A Polícia Federal agora investiga o remetente e os destinatários, e se a arma pode ter vindo do Paraguai.

“Informação de inteligência nós não temos nesse sentido, mas pode ser um indicativo já que são muito próximos”, disse Santana.

O homem que trouxe as armas e a carga de cocaína, preso sem reagir, afirmou que não tinha conhecimento da carga que estava na fritadeira. No entanto, a nota fiscal do armamento foi feita no nome dele.

G1