X

Notícias

Galloro escolhe delegados para diretorias da Polícia Federal e submete nomes ao aval do ministro Jungmann

Geral, Notícias
-
01/03/2018 10:25

Somente após avaliação do ministro da Segurança Pública indicados poderão ser nomeados. Posse de Rogério Galloro como novo diretor-geral da PF está prevista para sexta-feira 2

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Legenda da foto

Onovo diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, escolheu os nomes para preencher os cargos de confiança na cúpula da instituição.

Agora, esses indicados serão submetidos ao aval do ministro Raul Jungmann, da recém-criada pasta da Segurança Pública, à qual a Polícia Federal passou a ser subordinada.

Somente a partir da avaliação de Jungmann, os delegados escolhidos para as diretorias da PF poderão ser nomeados. Isso só deve acontecer após a posse de Galloro, prevista para esta sexta-feira 2.

Os nomes escolhidos são ligados a Leandro Daiello, ex-diretor-geral, com quem Galloro trabalhou diretamente, como diretor-executivo da PF.

Os indicados

Diretoria-Executiva: Silvana Helena Borges, atual número 2 da Secretaria Nacional de Justiça;

Diretoria de Combate ao Crime Organizado: Elzio Vicente da Silva, atual superintendente da PF em Brasília.

Diretoria de Inteligência Policial (DIP): Umberto Ramos Rodrigues, ex-superintendente da PF em Goiás e ex-coordenador-geral de Defesa Institucional, responsável pelo gerenciamento das eleições, investigações de crimes eleitorais, crimes indígenas.

Diretoria de Gestão de Pessoal: Delano Bunn, superintendente da Polícia Federal no Ceará

Diretoria de Logística: Fabricio Kelmer, ex-chefe de gabinete de Leandro Daiello

‘Combata a corrupção’

Nesta quarta-feira, o ministro Raul Jungmann concedeu entrevista coletiva na qual afirmou que a orientação dada a Galloro foi: “Combata o crime, combata a corrupção”. Ele também disse que a Operação Lava Jato seguirá como prioridade da Polícia Federal.

Na mesma entrevista, ele disse ter recebido autorização do governo para contratar 500 policiais federais e 500 policiais rodoviários federais.

Em entrevista a uma emissora de rádio nesta quarta, o presidente Michel Temer disse que o ex-diretor-geral da PF Fernando Segovia, que ficou menos de quatro meses no cargo, passará a ocupar o posto de adido especial na Itália.

G1