X

Notícias

Haddad diz que armar pessoas aumenta violência e defende ação da PF contra crime organizado

Geral, Notícias, Política
-
27/10/2018 20:22

Em ato de campanha na favela de Heliópolis, em São Paulo, candidato do PT a presidente falou de seus planos para combater a violência e reduzir homicídios

Fernando Haddad durante ato de campanha na favela de Heliópolis, em São Paulo, neste sábado (27) — Foto: Letícia Macedo/G1
Legenda da foto

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, afirmou neste sábado (27) que “armar a população só vai aumentar a violência” e voltou a defender a atuação da Polícia Federal (PF) no combate ao crime organizado.

Nesta manhã, Haddad participou de caminhada pela paz na favela de Heliópolis, em São Paulo, onde falou de seus planos em eventual governo para combater a violência e reduzir os homicídios.

“Armar a população só vai aumentar a violência. Você imagina crianças e mulheres armadas e armados, o que que isso vai acontecer? Só vai aumentar a violência. As propostas de meu adversário já foram testadas em outros países e o número de homicídios só fez aumentar”, concluiu.

O adversário de Haddad, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) do PSL afirma, no plano de governo, que vai reformular o Estatuto do Desarmamento. Em declarações públicas, Bolsonaro disse ser a favor da posse de armas de fogo para garantir o direito à legítima defesa a quem chama de “cidadão de bem”.

“A nossa proposta é que a PF assuma as responsabilidades de combater o crime organizado pra que as policias estaduais possam ajudar a comunidade a enfrentar o dia a dia da segurança pública. Essa é a nossa proposta. Para isso nós queremos duplicar o contingente da PF e assumir as responsabilidades nacionais. Esse é a nossa proposta”, afirmou.

Sobre as expectativas para a votação neste domingo (28), Haddad disse estar confiante na vitória. “Vai acontecer a virada. O Brasil está acordando”, afirmou.

Segundo pesquisa Datafolha de intenção de voto divulgada nesta quinta-feira (25) Jair Bolsonaro (PSL) tem 56% e Fernando Haddad 44%.

Apoio

Neste sábado (27), o candidato do PT recebeu o apoio do ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa – relator do processo do mensalão. Haddad disse que recebeu o apoio com “muita honra”.

Já o apoio esperado do candidato derrotado no primeiro turno Ciro Gomes (PDT) não chegou. Ele voltou de uma viagem pela Europa na noite desta sexta-feira (26) e nada declarou na chegada ao aeroporto de Fortaleza.

Fernando Haddad (PT) faz campanha no Nordeste

Jornal da Globo

Nesta sexta (26), Haddad participou de uma caminhada na orla de Salvador. Depois, ele se encontrou com um grupo de artistas e ainda de uma sabatina com jornalistas na TV Educativa da Bahia. Ele falou sobre como pretende combater a corrupção nas empresas estatais.

“Eu tenho dito que, por exemplo, os controles internos que nós criamos nos ministérios, inclusive no que eu assumi, chefiei, o Ministério da Educação, tem que ser utilizados também nas estatais. Eu gerenciei um orçamento de R$ 100 bilhões durante 7 anos e nunca houve dúvida sobre a boa gestão, ética desse orçamento. Isso, esses mecanismos têm que também ser utilizados nas estatais”, disse.

G1