X

Notícias

Homem é indiciado por estupro de vulnerável e por compartilhar pornografia infantil, em SC

Notícias, Policial
-
10/10/2017 16:42

Na casa dele, polícia encontrou mais de 4 mil imagens de pornografia infantil. Justiça entendeu que, 'por ora, era desnecessária a prisão do criminoso'

G1 - Globo.com
Legenda da foto

Um morador de Campo Alegre, no Norte catarinense, foi indiciado por estupro de vulnerável e por produção, armazenamento e compartilhamento de imagens e vídeos de sexo explícito e pornografia infantil. Segundo a Polícia Civil, ele teria abusado de duas meninas, uma delas sua sobrinha. Ele não foi preso.

Na casa dele havia mais de quatro mil imagens de crianças em cenas de pornografia e de sexo explícito em “dispositivos de armazenamento eletrônico” apreendidos.

As informações foram divulgadas na noite de segunda-feira (9) pela Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) de São Bento do Sul.

‘Desnessária a prisão’

A prisão preventiva do homem de cerca de 60 anos não foi autorizada pela Justiça, “pois o judiciário entendeu que, por ora, era desnessária a prisão do criminoso”, segundo a Polícia Civil. O G1 não conseguiu contato com o Fórum de São Bento do Sul até a publicação desta notícia.

Vítimas

Das milhares de imagens, o Instituto Geral de Perícias (IGP) identificou 60 vídeos e fotos como sendo das meninas abusadas pelo homem. O material estava em celulares, pendrives, CDs e DVDs. As imagens eram compartilhadas em rede de pedofilia, segundo a Polícia Civil.

“As crianças, além de serem vítimas de estupro de vulnerável, eram fotografadas nuas em poses chocantes com cunho sexual, o que também configura crime, conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente”, informou o delegado Cassiano Tiburski, responsável pela investigação.

Investigação

A investigação começou em dezembro de 2016 após denúncia de uma jovem de 18 anos que teria sido violentada pelo tio dos 6 aos 10 anos. A jovem teria resolvido revelar a violência sofrida porque a família de Curitiba (PR) pretendia visitar o tio em Campo Alegre. Como não queria reencontrá-lo, a vítima contou à família o que tinha ocorrido.

Na época da violência sexual, o tio tinha entre 45 e 50 anos. Os abusos ocorriam quando a família visitavam o tio e quando ele ia ao Paraná.

Segundo o delegado Tiburski, a outra vítima de 12 anos teria sido abusada quando tinha 6 anos. Ela seria filha de amigos do suspeito.

G1