X

Notícias

Incêndio no norte da Califórnia já é um dos mais letais a atingir o estado

Internacional, Notícias
-
12/11/2018 09:15

Até esta segunda-feira (12), 'Camp Fire' deixou 29 mortos. Número equivale ao registrado pelo incêndio que atingiu o Griffith Park, em Los Angeles, em 193

Foto: Eric Thayer/ Reuters
Legenda da foto

Bombeiros lutam contra o incêndio de Woolsey enquanto continua a queimar em Malibu, na Califórnia, no domingo (11) —

O incêndio que atinge o norte da Califórnia desde quinta-feira se igualou em número de vítimas ao mais letal já registrado na história do estado americano, depois que as autoridades anunciaram que recuperaram mais seis corpos. Até esta segunda-feira (12), 29 pessoas morreram. Outras duas foram vítimas do Woolsey Fire, que atinge a região sul.

Até então, o incêndio que atingiu o Griffith Park, em Los Angeles, ocorrido em 1933, era o incêndio com o maior número de mortos na história da região, de acordo com o Departamento de Bombeiros da Califórnia (Cal Fire).

O fogo, que afeta uma ampla região do condado de Butte, em Sierra Nevada, ao norte da capital do estado, Sacramento, é o maior e mais devastador de vários incêndios ativos no estado, que provocaram a fuga de mais de 250 mil pessoas e a destruição de 6.400 casas na cidade de Paradise.

O chefe de polícia local, Kory Honea, ao final do quarto dia de combate às chamas, informou que os seis corpos estavam em Paradise e seus arredores.

‘Woolsey Fire’

Ao sul, o “Woolsey Fire” afeta os condados de Ventura – onde fica a cidade de Malibu, residência de várias estrelas de Hollywood – e de Los Angeles.

As autoridades anunciaram no domingo que encontraram duas pessoas mortas em um veículo, vítimas do “Woolsey Fire”, o que eleva a 31 o número de falecidos pelos incêndios em todo o estado da Califórnia.

Agora os bombeiros que lutam no sul contra o “Woolsey Fire” se preparam para a chegada dos perigosos ventos de Santa Ana (secos e quentes), que poderiam alastrar as chamas, segundo as autoridades.

“Hoje temos mais de 8.000 bombeiros federais, estaduais e locais nas linhas de frente”, afirmou Scott Jalbert, comandante do Cal Fire. “Infelizmente, com estes ventos, não terminou. Tenham cuidado”, completou.

O mais devastador

Alimentado pelos ventos, o “Camp Fire” se tornou o incêndio mais devastador já registrado na Califórnia, com mais de 67.000 imóveis destruídos, incluindo um hospital em Paradise, cidade de 27.000 habitantes.

As chamas destruíram 45.000 hectares e foram contidas em apenas 25%, de acordo com o Cal Fire, que calcula que precisará de três semanas para controlar totalmente a situação.

Apesar da causa ainda não ter sido oficialmente determinada para o incêndio, autoridades do setor elétrico informaram que aconteceu um corte de energia perto do local de origem das chamas, noticiou o jornal Sacramento Bee.

As autoridades afirmaram que a propagação das chamas foi mais rápida desta vez.

“Há 10 ou 20 anos você ficava em casa quando acontecia um incêndio e e era capaz de ficar protegido”, disse o comandante dos bombeiros do condado de Ventura, Mark Lawrenson.

“Mas as coisas não são como eram. A taxa de propagação é exponencialmente maior do que era: por favor, considerem as ordens de evacuação”, disse.

O governador da Califórnia, Jerry Brown, também falou sobre o cenário: “Este não é novo normal, este é o novo anormal. E este novo anormal continuará nos próximos 10, 15 ou 20 anos”.

“Infelizmente, a melhor ciênIncêndio no norte da Califórnia já é um dos mais letais a atingir o estado

Até esta segunda-feira (12), ‘Camp Fire’ deixou 29 mortos. Número equivale ao registrado pelo incêndio que atingiu o Griffith Park, em Los Angeles, em 1933.

O incêndio que atinge o norte da Califórnia desde quinta-feira se igualou em número de vítimas ao mais letal já registrado na história do estado americano, depois que as autoridades anunciaram que recuperaram mais seis corpos. Até esta segunda-feira (12), 29 pessoas morreram. Outras duas foram vítimas do Woolsey Fire, que atinge a região sul.

Até então, o incêndio que atingiu o Griffith Park, em Los Angeles, ocorrido em 1933, era o incêndio com o maior número de mortos na história da região, de acordo com o Departamento de Bombeiros da Califórnia (Cal Fire).

O fogo, que afeta uma ampla região do condado de Butte, em Sierra Nevada, ao norte da capital do estado, Sacramento, é o maior e mais devastador de vários incêndios ativos no estado, que provocaram a fuga de mais de 250 mil pessoas e a destruição de 6.400 casas na cidade de Paradise.

O chefe de polícia local, Kory Honea, ao final do quarto dia de combate às chamas, informou que os seis corpos estavam em Paradise e seus arredores.

As autoridades anunciaram no domingo que encontraram duas pessoas mortas em um veículo, vítimas do “Woolsey Fire”, o que eleva a 31 o número de falecidos pelos incêndios em todo o estado da Califórnia.

Agora os bombeiros que lutam no sul contra o “Woolsey Fire” se preparam para a chegada dos perigosos ventos de Santa Ana (secos e quentes), que poderiam alastrar as chamas, segundo as autoridades.

“Hoje temos mais de 8.000 bombeiros federais, estaduais e locais nas linhas de frente”, afirmou Scott Jalbert, comandante do Cal Fire. “Infelizmente, com estes ventos, não terminou. Tenham cuidado”, completou.

 

Críticas de Trump

O presidente Donald Trump

“Não há motivos para estes incêndios grandes e mortais na Califórnia, exceto que a gestão florestal é muito ruim”, escreveu Trump no Twitter no sábado.

“Bilhões de dólares são dados a cada ano, com tantas vidas perdidas, tudo por causa da má administração das florestas. Consertem agora ou não acontecerão mais pagamentos do Fed”.

— Donald Trump

Brian Rice, diretor dos Bombeiros Profissionais da Califórnia, classificou os comentários de “desinformados, inoportunos e humilhantes para aqueles que estão sofrendo”.

Também disse que as afirmações do presidente sobre má gestão florestal “são perigosamente equivocados”.

G1