X

Notícias

Inter analisa permanências e estuda usar últimos jogos da Série B para observar atletas

Esportes, Nacional
-
25/10/2017 08:57

Colorado mantém foco em assegurar vaga na Série A e título da competição, mas estuda rodar elenco e avaliar opções após cumprir seus objetivos na temporada

Inter treino técnico Guto Ferreira jogadores (Foto: Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação)
Legenda da foto

A matemática obriga o Inter a manter foco total em buscar ao menos duas vitórias para garantir o retorno à Série A. Mas a proximidade de um acesso iminente, que parece questão de tempo, já permite ao Colorado planejar seu elenco para 2018 – mesmo que ainda em segundo plano. Além de suas pretensões na tabela, o clube destinará o final da temporada para avaliar carências e até dar chances a atletas menos aproveitados de mostrarem seu valor para uma eventual permanência.

O planejamento do departamento de futebol abre espaço e estuda utilizar uma equipe alternativa nos últimos compromissos da competição, com reservas e jovens que foram promovidos do time sub-23 nesta temporada e que pouco atuaram. Isso, claro, apenas após liquidar os objetivos da temporada, já com a vaga na elite e o título da Série B garantidos matematicamente. Os cálculos asseguram ao menos um jogo com todas as missões da temporada concluídas – número que pode chegar até a três partidas “livres de obrigação”. Clique aqui e veja projeções

– Não sou eu quem tenho que responder. Os jogadores realizam uma grande competição. No momento certo, mostram se são ou não capacitados. Estou atento e buscamos onde temos dificuldades para qualificar e formar um grupo ainda mais forte – analisa Guto, ao projetar o elenco.

Inter treino técnico Guto Ferreira jogadores (Foto: Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação)

Após dar vazão a uma severa reformulação, com mais de 40 saídas desde o início da temporada, a diretoria de futebol planeja manter até 70% do elenco para 2018. A maior parte dos atletas que compõem o grupo atual têm contratos de longa duração, que não requerem a renovação ao final da temporada.

A diretoria de futebol estuda a permanência de jogadores cujos vínculos expiram em dezembro ou na metade de 2018. Estão sob análise os jogadores Carlos, Carlinhos e Felipe Gutiérrez, cada um, com uma situação negocial e de importância no elenco diferente. A começar pelo atacante.

Após 81 dias sem balançar as redes, o jogador deixou o banco de reservas para anotar o gol da vitória por 3 a 2 sobre o Criciúma, no último sábado, no Heriberto Hülse. O próprio Carlos admite que renasce no elenco graças ao tento e almeja usar os sete jogos restantes na temporada para mostrar seu valor e permanecer. Seu vínculo por empréstimo do Atlético-MG encerra ao final do ano.

– Não conversa nada (sobre renovação). Eu tenho que mostrar. Temos sete jogos até o final. É a minha chance de poder provar que posso e tenho capacidade de permanecer para o ano que vem – afirma Carlos.

O caso de Carlinhos é bem mais complicado. O jogador está emprestado pelo São Paulo até o final do ano, mas não deve seguir para 2018, mesmo com a opção de prorrogação do vínculo por mais duas temporadas. Pesam contra ele os minutos escassos em campo e a ascensão do garoto Iago.

Felipe Gutiérez, por sua vez, segue sob análise, mesmo tendo atuado pouco pela condição de reserva e pelas constantes convocações à seleção chilena. Para contratá-lo em definitivo, o Inter precisa pagar 2 milhões de euros (R$ 7,5 milhões) ao Bétis, da Espanha – algo inviável, dado o cenário atual do clube. A prorrogação do empréstimo é improvável, mas surge como única saída.

Além dos atletas emprestados, as últimas partidas servirão para ter uma visão mais detalhada de garotos da equipe sub-23 e de jovens. São os casos dos zagueiros Fábio Alemão, Thales e Léo Ortiz, lateral-esquerdo Juan, dos volantes Valdemir, Mossoró e Jéferson, do meia Juan e dos atacantes Fernandinho, Ronald e Jeferson.

A partir desta análise, a diretoria defeniriá que carências terão de ser solucionadas com investimentos e prospecção de reforços, mesmo com dificuldades financeiras. Há o entendimento de que é preciso contratar reposições para a lateral direita e para a zaga, além de substitutos com características semelhantes às de Edenílson, Eduardo Sasha e Leandro Damião.

Além das peças já disponíveis no elenco, o Inter estuada uma legião de mais de 25emprestados a equipes das Séries A e B que retornarão entre o final da temporada e o primeiro semestre. Da vasta lista, dois nomes agradam mais à diretoria: Marcinho (atacante, Brasil de Pelotas) e Valdívia (atacante, Atlético-MG). Andrigo também vem de boas atuações, mas ainda desperta algumas dúvidas.

A tendência é de que Marcinho seja integrado ao elenco profissional no início do ano, ao menos para ser observado, como opção de velocidade para as beiradas do campo. O potencial de Valdívia já é conhecido, e há a crença de que a pré-temporada possa fazê-lo retomar as boas atuações de 2015, após uma série de lesões. O jogador só retorna após o Gauchão do empréstimo ao Galo 0 isso, se o clube mineiro não exercer a opção de compra.

Entre análises, o clube já tem definido que irá exercer a opção de compra de dois atletas emprestados: Klaus (Juventude, ao final do ano) e Edenílson (Udinese-ITA, na metade de 2018). D’Alessandro também tende a permanecer. Mesmo sem iniciar as tratativas, clube e atleta almejam a renovação. O caso mais complexo é o de Leandro Damião, emprestado até o meio do ano que vem. O centroavante discute na Justiça com o Satnos em razão de salários atrasados, após ter sido adquirido e repassado pelo grupo Doyyen Sports por R$ 42 milhões.

GE