X

Notícias

Inter contabiliza retornos e deve remontar meio-campo “100%” contra o Criciúma

Esportes, Nacional
-
20/10/2017 08:46

Rodrigo Dourado, Edenílson e Eduardo Sasha retornarão ao time para formar quinteto titular ao lado de D'Alessandro e William Pottker; Damião também será reforço

Edenílson voltará ao Inter contra o Criciúma (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
Legenda da foto

O Inter viu uma formação repleta de desfalques travar um jogo “horroroso” diante do Boa Esporte, na última terça-feira. Mas o empate sem gols em Varginha e a formação desconfigurada, sem quatro peças vitais ao funcionamento do sistema de jogo no 4-1-4-1, já ficam relegados ao passado. Com o duelo contra o Criciúma, no próximo sábado, às 16h30, no Heriberto Hülse, pela 31ª rodada da Série B, em vista, o técnico Guto Ferreira contabiliza reforços e tem a chance de remontar a escalação ideal – e com 100% de aproveitamento – em seu meio-campo.

O treino da quarta-feira, na reapresentação do elenco após o 0 a 0 fora de casa, foi um primeiro indício promissor, confirmado na segunda atividade da semana, nesta quinta. Ainda sem seus titulares, Guto Ferreira comandou um trabalho tático em campo reduzido. O treino contou com as presenças esperadas de Edenílson e Eduardo Sasha, que cumpriram suspensão diante do Boa, e até de Leandro Damião, livre do desconforto muscular na coxa esquerda. De quebra, Rodrigo Dourado antecipou o prazo inicial de recuperação de uma lesão muscular na coxa direita e está liberado para encarar o Tigre.

O retorno do trio permite ao treinador retomar a escalação com Rodrigo Dourado, William Pottker, Edenílson e Eduardo Sasha no quinteto do meio-campo – algo que deve ocorrer no treino desta sexta-feira pela manhã. A última vez que os cinco estiveram em campo lado a lado ocorreu ainda em setembro, no dia 30, na vitória por 2 a 0 sobre o Santa Cruz, no Beira-Rio.

Coincidência ou não, o meio-campo ideal do Inter conta com aproveitamento de nada menos do que 100% na Série B. Sempre que o quinteto iniciou junto, o time gaúcho saiu de campo com os três pontos (confira abaixo).

– A gente sabe que hoje em dia o entrosamento pesa bastante. Tanto é que nosso melhor momento foi quando teve o time bem entrosado jogando. O importante é retomar. Esperamos buscar pontos em Criciúma – afirma o volante Edenílson.

Desde o duelo com o Santa, foram três partidas com ao menos um desfalque no setor. O empate em 0 a 0 com o Boa Esporte, porém, se torna exponencial para explicitar o peso de tantos desfalques. Sem contar ainda com Leandro Damião, o Inter iniciou a partida apenas com D’Alessandro entre os titulares – Pottker atuou centralizado na primeira etapa, na vaga do centroavante.

O empate sem gols já dá boas pista de que a formação não engrenou com Charles, Nico, Jéferson, D’Ale e Camilo. O Colorado viveu uma noite apática, com dificuldades na marcação e na criação, justamente pela falta de substitutos com características semelhantes para cada uma das posições carentes.

– Não que não existam peças de reposição, mas trocar cinco peças de uma vez só, queria ou não queira, mexe na estrutura. Há peças em que você não tem reposição próxima. A equipe precisou se moldar e não conseguiu manter o nível que tinha com todo mundo – analisa o técnico Guto Ferreira.

Entre tantos desfalques, as dificuldades sobressaíram antes mesmo da partida. A começar por Edenílson. O treinador teve escolher entre dois garotos – Jéferson, o escolhido, e Valdemir – para tentar ter uma peça de intensidade ao menos semelhante à do titular para atuar com a mesma qualidade nas duas áreas. A solução passou distante disso, tanto que o jovem foi substituído ainda no segundo tempo.

Nem mesmo a esperada parceria entre Camilo e D’Alessandro deu certo contra o Boa. Ao lado do gringo pela esquerda, o meia não conseguiu imprimir a mesma velocidade que Eduardo Sasha e pouco foi capaz de fazer combinações com o argentino. Recuado como vértice defensivo do meio-campo, Charles foi outro que teve dificuldades ao fazer a saída de bola próximo dos zagueiros, como Rodrigo Dourado costuma fazer.

– Não fizemos uma boa partida, pelo contrário. A equipe perdeu jogadores importantes que dão sustentação à equipe, dão muito equilíbrio, que a gente não tem peças para o mesmo tipo de jogo. Foram quatro jogadores muito importantes, o Dourado, o Edenílson, o Damião e o Sasha. Os que entraram… Tinha a falta de entrosamento, de conjunto, isso ficou claro. Não pela falta de qualidade. Pela falta de conjunto – analisa o vice de futebol Roberto Melo.

Após um treino de reservas na reapresentação do elenco, na quarta-feira, o Inter retoma os treinamentos, com a presença dos titulares no gramado, nesta quinta-feira, no CT do Parque Gigante. O Colorado volta a campo no próximo sábado, às 16h30, quando encara o Criciúma, no Heriberto Hülse, pela 31ª rodada da Série B.

GE