X

Notícias

Inter inverte expectativas em derrota e perde chance de atingir meta pelo acesso

Esportes, Nacional
-
29/10/2017 07:38
Foto: Reprodução
Legenda da foto

Colorado vê interrompida série de vitórias em casa contra o Ceará e freia arrancada por retorno à elite ao não alcançar projeção de 64 pontos por classificação “virtual”

Perfilados, os jogadores de Inter e Ceará pisam o gramado e são recebidos com festa de um Beira-Rio pulsante, com direito a fumaça vermelha para pintar o cenário das arquibancadas em tarde de recorde de público. Passam-se os 90 minutos de uma atuação apagada do Colorado na derrota por 1 a 0, válida pela 32ª rodada da Série B, e uma vaia sonora ressoa no estádio, a ponto de fazer o capitão D’Alessandro tirar satisfação com os torcedores.

O contraste entre essas duas cenas deixa bem nítida a inversão de expectativa dos colorados com o revés deste sábado e todos os seus significados. Mesmo que ainda mantenha a liderança isolada da competição, a um passo do retorno à elite, a equipe deixou escapar a chance de garantir virtualmente o acesso e ainda viu o vice-líder e o quinto colocado reduzirem a distância na tabela.

“Neste momento tem que ter maturidade para administrar todo tipo de situação que possa ser gerada e trabalhar em cima da busca por resultados. Essa frustração é porque um empate manteria a situação muito positiva e a vitória nos colocaria com abertura ainda maior” (Guto Ferreira)

Pois o Inter entrou em campo cercado de marcas e projeções, todas consequências de uma esperada vitória diante de sua torcida. O Colorado vinha de nove triunfos seguidos como mandante na competição e tinha a chance de alcançar virtualmente o acesso ao chegar aos “mágicos” 64 pontos na Série B com a 10ª vitória consecutiva – a marca equivale à projeção da diretoria e da média histórica dos pontos corridos. Ao somar três pontos, a equipe ainda alimentaria as probabilidades de garantir a vaga na Série A na próxima rodada, contra o CRB.

Mas a série de expectativas criada antes da partida deu lugar a 90 minutos de pouco futebol. Sem contar com Leandro Damião no ataque, o Inter teve dificuldades para se impor ao Ceará e só conseguiu acertar seu primeiro chute a gol, de fato, com D’Alessandro, já aos 36 do primeiro tempo. A equipe manteve o rendimento abaixo do esperado na segunda etapa e só conseguiu pressionar – em vão – com a desvantagem no placar, após o gol de Elton.

O tropeço deste sábado fez o Inter reduzir sua vantagem aos rivais. A margem para o novo vice-líder, o Ceará, caiu para três pontos, ao passo que a distância para o quinto colocado foi de 10 para os atuais nove pontos que separam o Colorado do Oeste. O técnico Guto Ferreira, por sua vez, atenua a queda ao comparar os números com uma sequência maior de partidas.

– Acontecem deslizes. Importante é poder ter o controle. Mais do que nunca na próxima rodada temos que ganhar. Aqueles que vêm abaixo vão ter deslizes também. Diminuiu um ponto aí. Passa pela mesma situação, três vitórias a mais do que cada vitória que a gente tiver, faltando seis jogos. Ainda estamos muito perto. Não foi possível hoje. Essa frustração é porque um empate manteria a situação muito positiva e a vitória nos colocaria com abertura ainda maior – afirma o treinador.

Vaias e resposta do elenco

O rendimento apático despertou a ira da torcida, mesmo com a campanha atual, de 11 vitórias, um empate em três derrotas, e a vantagem ainda confortável na liderança. Após o apito final, os torcedores vaiaram a equipe e receberam como resposta uma “bronca” de D’Alessandro. O gringo classificou os apupos como injustos, justamente pelo momento vivenciado pela equipe.

– Saí de cabeça quente, cobrei o torcedor, porque achei que a vaia foi injusta. O resultado não foi o que a gente esperava, não foi um jogo dos melhores que a gente fez. Saí de cabeça quente como o torcedor está. Volto a repetir, acho que a vaia foi injusta, podia ter valorizado o esforço do grupo. Saí ao natural para defender meu grupo. Precisava defender da vaia que no momento achei injusta. O que quero falar é que não tem crise, somos líderes da Série B, é a história que temos que viver hoje, tem que aceitar – afirmou o camisa 10.

William Pottker foi outro que saiu em defesa do elenco, a ponto até de fazer uma comparação com o rendimento da equipe no ano passado. Aparentando certa irritação com uma pergunta sobre relaxamento do time com a proximidade do acesso, o atacante defendeu que ele e seus companheiros lutam até o final pela vitória.

– Relaxou? como relaxou? A gente ganhou o penúltimo jogo, cara. A gente não relaxou. O que aconteceu é que a gente perdeu. De 10 jogos, perdemos um em casa. A gente não vai ganhar todos os jogos dentro de casa. Mas nosso torcedor está triste, ele é exigente. A gente entende, mas estamos em primeiro lugar. Vaiar quando estávamos mal, a gente entende. Mas aqui tem homens. A gente se dedicou ao máximo. A gente lutou até o último minuto e saímos vaiados. Ano passado, (o time) não fazia o que a gente fez hoje. A gente vê homens dentro de campo, correndo, se doando e tentando fazer o gol. Ninguém está de bobeira – disse o atacante.

Mesmo com a derrota, o Inter segue na liderança isolada da Série B, com 61 pontos. O elenco colorado se reapresenta para trabalhos na segunda-feira, quando inicia a preparação para o duelo com o CRB – já sem chances de garantir o acesso matemático dentro de casa. As duas equipes se enfrentam na sexta-feira, às 19h15, no Beira-Rio, pela 33ª rodada da competição.

GE