X

Notícias

Inter sofre, mas vence o Coritiba por 1 a 0 com gol de pênalti de Vitinho

Esportes, Nacional
-
07/10/2016 10:52

Danilo Fernandes defendeu pênalti do time paranaense quando o placar estava 0 a 0

Legenda da foto

A vitória do Inter por 1 a 0 sobre o Coritiba entrará para a história. Em um espaço de oito minutos, o time deixou de perder o jogo, com Danilo Fernandes defendendo um pênalti, e venceu a partida, com um pênalti cobrado por Vitinho. Com a vitória, a equipe de Celso Roth saiu momentaneamente da zona de rebaixamento. O Inter voltará a campo somente no Dia das Crianças, quando enfrentará o Botafogo no improvisado Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador.

Não fossem as inúmeras faltas, encontrões e tombos do primeiro tempo, os 45 minutos de jogo teriam feito os menos entusiasmados dormir na arquibancada ou na frente da TV. Com dois times se estudando, ambos com medo de perder, Inter e Coritiba pouco fizeram. Os donos da casa não conseguiam se impor. Esse Inter é do tamanho do Coritiba.

A melhor chance do Inter no primeiro tempo saiu dos pés de Seijas, que cruzou em curva para Gustavo Ferrareis. Seria um lindo gol, não fosse a providencial defesa do goleiro Wilson. Apesar da urgência da vitória, o time de Celso Roth mostrava-se sereno em campo. Sereno até demais para tentar furar a barreira de até nove jogadores do Coritiba na defesa. Talvez a falta de um grito mais forte das arquibancadas tenha deixado os colorados um tanto anestesiados em campo. O Inter simplesmente não pressionava os paranaenses.

No intervalo, Alex reconheceu os problemas para vencer:

— O jogo é difícil. Eles estão em um momento bom, o time deles é encaixadinho. Eles estão tentando jogar e se aproveitando dos nossos erros.

Enquanto os jogadores ganhavam o túnel, a diversão da torcida foi xingar Edinho, o ex-volante colorado que passou pelo Grêmio e declarou que os 5 a 0 do Gre-Nal da Arena foram mais importantes em sua vida do que ter vencido o Mundial pelo Inter.

O segundo tempo começou com os torcedores cantando a plenos pulmões. Sabem que só na bola é impossível para o Inter versão 2016 bater até o mais frágil dos adversários. Aos sete minutos, enfim, uma emoção: Ferrareis cruzou da ponta direita e o assustado Benítez quase marcou contra. O problema para o Inter é que a defesa colorada também proporcionava fortes sensações. Aos nove minutos, Juninho cabeceou sozinho, no contrapé de Danilo, que se esticou todo e defendeu sabe-se lá como. O lance parece ter acordado o time em campo. Aos 12, Alex voltou a ser o antigo Alex e bateu de longe. Acertou a trave e quase arrancou o grito de gol da torcida. De repente, aquele jogo morno pegou fogo.

Aos 30 minutos, Rafael Veiga dividiu no ar com William. A bola bateu na mão do jogador do Coritiba e o árbitro mandou seguir. Leandro recebeu na área e Ernando o derrubou. Pênalti. Aos 33 minutos, o veterano Juan (ex-São Paulo, ex-Flamengo) cobrou bem, no canto esquerdo, e Danilo defendeu, levando o Inter nas costas uma vez mais.

Aos 41 minutos, um daqueles lances que provam que um clube começa a escapar da segunda divisão. O árbitro marcou um pênalti de Luccas Claro em Valdívia. O Beira-Rio explodiu em festa. Vitinho pegou a bola e, com frieza, bateu no canto direito, sem chances para Wilson.

Foi o milagre do Beira-Rio.

DC/ Fronteira Online