X

Notícias

Mais de, 11 toneladas, de drogas foram apreendidas em, 2017, no Rio Grande do Sul

Notícias, Policial
-
05/01/2018 14:16

Também foram apreendidos e sequestrados bens móveis e imóveis e dinheiro do crime organizado, que ultrapassa, R$ 60 milhões, segundo o balanço da Polícia Civil

Foto: Polícia Civil RS/Divulgação
Legenda da foto

Apreensões de drogas no estado foram superiores a, 2016, segundo Denarc.

A polícia gaúcha apreendeu cerca, de 11,2 toneladas de drogas, no estado em 2017, conforme os dados divulgados pelo Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico da Polícia Civil Denarc nesta sexta-feira, 5.

As apreensões que se referem a maconha, cocaína, crack e haxixe, aumentaram 7% em relação a 2016. Além disso, foram retirados das ruas mais de, 18 mil, comprimidos de ecstasy, 26% a mais que o ano anterior; e 8 mil pontos de LSD, que teve um acréscimo de, 67%.

De acordo com o chefe de Polícia Civil, delegado Emerson Wendt, em 2017, além de drogas, foram apreendidos e sequestrados bens móveis e imóveis e dinheiro do crime organizado, que totalizaram, R$ 60 milhões.

“Retirar de circulação essa grande quantidade de substâncias ilícitas impacta diretamente na segurança da população, pois é comprovado que o tráfico de drogas é uma das principais causas de crimes de homicídios, roubos e furtos”, avaliou o secretário de Segurança Pública do estado, Cezar Schirmer.

Em, 2017 foram, 296, operações realizadas pela Polícia Civil, sendo 32 especiais do Denarc. Um dos destaques foi a Operação Pura, que ocorreu em dezembro passado e resultou na apreensão de, 45 kg de cocaína em Novo Hamburgo, a maior quantidade apreendida no ano. Em junho, a Operação Rosa dos Ventos possibilitou o recolhimento de uma tonelada de maconha, em Eldorado do Sul e, em março, também foram recolhidos, 300 pontos de LSD, em Gravataí.

Conforme o Denarc, as drogas foram incineradas em três ações que ocorreram em abril, junho e outubro.

Prevenção

O estado também promove atividades de prevenção ao uso de drogas, como o Papo de Responsa, desenvolvido pela Polícia Civil nas escolas estaduais, o Programa Educacional de Resistência às Drogas, PROERD, da Brigada Militar, além da existência da Comissão Interna de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar, CIPAVE, programa desenvolvido pela Secretaria Estadual da Educação.

Fonte: G1