X

Notícias

MP pede internação de adolescente suspeito de atropelar e matar 3 pessoas na BR 277

Notícias, Policial, Trânsito
-
31/08/2017 10:47

Atropelamento aconteceu em Campo Largo, na noite de sexta-feira. Jovem de 17 anos se apresentou à polícia na terça-feira, mas foi liberado após prestar depoimento

Monza era de um homem de 74 anos, mas quem dirigia era o neto dele, um adolescente de 17 anos, segundo a PRF (Foto: Divulgação/PRF)
Legenda da foto

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) ofereceu uma representação nesta quarta-feira, 30, à Vara da Infância e Juventude de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, requerendo a internação provisória do adolescente de 17 anos suspeito de atropelar e matar três pessoas em um trecho urbano da BR 277, na noite de sexta-feira, 25.

A solicitação se deve, conforme o MP, pelo ato infracional de homicídio qualificado e omissão de socorro no trânsito. Caso o pedido seja deferido, ele poderá ser apreendido imediatamente e transferido a um Centro de Socioeducação (Cense).

No documento, a promotoria ressalta que o adolescente dirigia com faróis apagados e ultrapassou o sinal vermelho em velocidade acima do permitido para o local. Além disso, segundo o pedido, o jovem deixou o local logo após a batida sem prestar socorro às vítimas ou solicitar auxílio às autoridades.

Depoimento

À polícia, na terça-feira, 29, o adolescente afirmou não conhecer nenhuma das vítimas. Depois de prestar depoimento, ele foi encaminhado à Promotoria de Infância e Juventude e liberado.

O dono do carro, um Monza, é avô do adolescente e não tem carteira de habilitação. De acordo com o delegado Cassiano Aufiero, o jovem disse que havia bebido e que saiu para comprar pão com o carro.

Ele contou para o delegado que acelerou para passar no sinal verde e que não viu as vítimas, não conseguindo frear. “Ele disse ter ficado com medo de ficar no local do acidente e fugiu a pé”, disse o delegado.

Ainda conforme a narração do adolescente, ele estava acompanhado de um primo que tem mais de 18 anos. Contudo, quem dirigia era o menor.

Aufiero afirmou que houve imprudência por parte do adolescente. “Se maior fosse, eu teria indiciado ele por homicídio doloso tendo em vista ele ter assumido a culpa, a responsabilidade de matar uma pessoa que estaria atravessando naquele momento a via pública”.

O acidente

O atropelamento aconteceu por volta das 22h45 de sexta-feira, na altura do km 118 da rodovia. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os corpos foram arremessados a uma distância de aproximadamente 15 metros.

Duas das vítimas, segundo a PRF, eram tia e sobrinha. Elas moravam na região. A velocidade máxima sinalizada no local do atropelamento é de 60 km/h. A perícia deve apontar qual era a velocidade do automóvel, que seguia no sentido Curitiba.

G1