X

Notícias

Mulher morre após ser esfaqueada em confuso episódio no Bairro Vila Aurora em Santo Antônio do Sudoeste

Notícias, Policial
-
16/10/2016 22:31

Aos policiais o marido da vítima disse que ela cometeu suicídio. Caso será investigado

Legenda da foto

Uma mulher de 24 anos morreu após ter supostamente se ferido com uma faca. Conforme informações da Polícia Militar de Santo Antônio do Sudoeste, a equipe foi acionada por volta das 17h45, por uma enfermeira do Hospital Santa Izabel, tendo em vista que uma mulher já sem via havia sido deixada no local.

Imediatamente a equipe se deslocou até o hospital onde a enfermeira informou que momentos antes três homens, que estavam muito alterados, teriam chegado ao hospital com uma mulher já desfalecida, eles teriam danificado uma das portas do local e deixaram a mulher em uma maca.

No local foi possível constatar os fatos e notar que a vítima apresentava um ferimento possivelmente de arma branca no tórax. Os plantonistas do Hospital relataram que após deixarem a vítima no local, tiraram as camisas e embarcaram no veículo e saíram.

Momentos depois compareceu ao hospital um homem de 31 anos, o qual se identificou como sendo o cônjuge da vítima, que foi identificada como sendo Leila Pereira dos Santos, de 24 anos. Aos policias o homem disse que teria ocorrido uma discussão na sua residência, situada na Rua Presidente Tancredo Neves, no Bairro Vila Aurora, sendo que em determinado momento Leila teria pegado uma faca e se suicidado. O homem contou ainda que teria socorrido Leila com a juda de dois amigos, e a deixado no hospital.

De posse dessas informações foi deslocado até a residência onde teriam acontecido os fatos, isolado o local e acionado a Polícia Civil e Instituto Médico Legal.

Ainda segundo a PM, os amigos e o cônjuge da vítima, que precisou ser contido pela equipe e algemado, pois estava bastante alterado, foram conduzidos para esclarecimentos, sendo todos entregues à 58ª Delegacia de Polícia Civil, para procedimentos.

O corpo da vítima foi encaminhado ao IML de Francisco Beltrão.

Fronteira Online