X

Notícias

‘Pagando por algo que não fez’, diz mulher de líder de templo preso por suspeita de morte de crianças

Geral, Notícias
-
10/01/2018 16:00

Silvio Fernandes Rodrigues foi preso no dia, 27, de dezembro. Ele é apontado pela polícia como líder de um templo satânico envolvido em morte e esquartejamento de crianças durante ritual de prosperidade

Foto: Paulo Ledur/RBS TV
Legenda da foto

Sede do templo onde eram realizados rituais satânicos na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Silvio Fernandes Rodrigues foi uma das quatro pessoas presas preventivamente pela polícia, apontadas como suspeitas da morte e esquartejamento de duas crianças em um ritual satânico ocorrido na Região Metropolitana de Porto Alegre. Ele é líder do templo descoberto na investigação. Sua esposa, no entanto, afirma que ele está pagando por um crime que não cometeu.

“Ele está bem chateado, triste com a situação, porque ele está pagando por algo que não fez, e a pessoa que fez essa barbaridade está na rua, rindo. “A polícia Não tem provas reais”, diz ao G1 a empresária Aline Melo da Silva, 28 anos.

Conforme a polícia, o ritual teria acontecido no templo de Silvio, encomendado por dois empresários de Novo Hamburgo, também presos preventivamente, que queriam prosperidade nos negócios. Ainda de acordo com a investigação, eles pagaram R$ 25 mil pelo serviço.

Os corpos das duas crianças foram encontrados esquartejados em setembro em uma área de vegetação no bairro Lomba Grande, em Novo Hamburgo. O exame de DNA apontou que elas teriam entre 8 e 12 anos, e teriam sido raptadas na Argentina em troca de um caminhão roubado. Por isso, a polícia está em contato com autoridades daquele país.

Uma quarta pessoa também foi presa, e seria o braço direito dos empresários. Três pessoas estão foragidas.

Aline afirma que o marido não conhece os empresários, e diz que nunca viu os dois no templo onde são realizados os rituais. Segundo ela, a polícia fez buscas no local e coletou diversos objetos.

Fonte: G1