X

Notícias

Polícia Civil deflagra Operação Zoo em repressão ao jogo do bicho, em Maravilha

Policial
-
08/11/2018 18:30

Investigação teve início há cerca de quatro meses, após requisição do Ministério Público

Foto: Divulgação PC
Legenda da foto

Equipes da Polícia Civil de Maravilha desencadearam na tarde desta quinta-feira, 08, a Operação ZOO, de combate ao Jogo do Bicho. De acordo com as informações, a investigação teve início há cerca de quatro meses, após recebimento de requisição do Ministério Público.

Após a instauração de Inquérito Policial e a realização de diversas diligências investigativas foram identificados diversos pontos na cidade em que a prática ilegal do jogo de bicho ocorria. Diante disso, foi representada pela expedição de mandados de buscas e apreensões, que foi deferida pelo Poder Judiciário da Comarca de Maravilha.

Os mandados foram cumpridos pelas equipes da Policiais Civis da DPCO/Fron de Maravilha com apoio de Policiais Civis de São Miguel do Oeste e Descanso. Durante a operação foram cumpridos nove Mandados de Busca e Apreensão, sendo oito em comércios e um em uma residência.

Durante o cumprimento das Ordens Judiciais foram localizadas em todos estabelecimentos vários objetos utilizados para a prática ilegal de jogo de bicho, tais como: terminais eletrônicos, cupons impressos, blocos de anotações, valores em espécie (apostas), aparelhos telefônicos, e alguns maços de cigarro oriundos do Paraguay.

Os investigados foram conduzidos até a Delegacia de Polícia, onde foram lavrados oito Termos Circunstanciados pela prática delituosa, restando compromissados a comparecer à audiência no Fórum de Maravilha. Também, foi instaurado um Termo Circunstanciado contra um homem que foi flagrado no momento em que estava realizando uma aposta.

O jogo do bicho é uma bolsa ilegal de apostas em números que representam animais. Foi criado em 1892 pelo barão João Batista Viana Drummond, fundador do Jardim Zoológico do Rio de Janeiro, em Vila Isabel, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.[1]

A fase de intensa especulação financeira e jogatina na bolsa de valores nos primeiros anos da república brasileira imprimiu grave crise ao comércio. Para estimular as vendas, os comerciantes instituíram sorteios de brindes. Assim é que, querendo aumentar a frequência popular ao zoológico, o barão decidiu estipular um prêmio em dinheiro ao portador do bilhete de entrada que tivesse a figura do animal do dia, o qual era escolhido entre os 25 animais do zoológico e passava o dia inteiro encoberto com um pano. O pano somente era retirado no final do dia, revelando o animal do dia. Posteriormente, os animais foram associados a séries numéricas da loteria e o jogo passou a ser praticado largamente fora do zoológico, a ponto de transformar a capital da república (de 1889 a 1960) na “capital do jogo do bicho”.

Atualmente, o jogo do bicho continua a ser praticado em larga escala nas ruas das principais cidades do Brasil, não obstante ser considerado uma contravenção pela legislação penal brasileira.

As investigações relacionadas à Operação Zoo terão prosseguimento no sentido de identificar os crimes de associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Fronteira Online