X

Notícias

Reinaldo e Grolli: falhas no primeiro tempo, salvação na etapa final

Esportes, Nacional
-
02/10/2017 10:32

Lateral e zagueiro não impediram gol do Vasco, mas foram decisivos: camisa 6 marcou, sem querer, o gol de empate, e o zagueiro tirou o segundo dos anfitriões em cima da linha

Douglas Grolli, zagueiro da Chapecoense, tirou segundo gol do Vasco em cima da linha (Foto: André Durão)
Legenda da foto

O zagueiro Douglas Grolli e o lateral-esquerdo Reinaldo viveram uma situação curiosa pela Chapecoense no jogo sem torcida em São Januário neste sábado. Ambos falharam no gol do Vasco, especialmente o camisa 6, mas também tiveram, na etapa final, papel fundamental para garantir o empate fora de casa para o time de Santa Catarina. Mesmo sem querer, Reinaldo marcou o golaço de empate por cobertura, surpreendendo Martín Silva. Grolli, por sua vez, tirou em cima da linha o que seria o segundo gol de Andrés Rios.

Reinaldo não hesitou em reconhecer que falhou. Aos 24 minutos do primeiro tempo, a bola que chegava limpa para o corte do lateral, o enganou. Em vez de bater para longe, ele tentou dominar e entregou para Mádson cruzar rasteiro para o gol do argentino.

– Eu falhei mesmo no lance do gol deles. Fui tentar dominar uma bola que era para tirar de primeira. Infelizmente não consegui dominar, a bola passou e fizeram o gol. Mas sempre me mantive tranquilo e voltei para o segundo tempo determinado a ajudar. O importante é termos conseguido esse ponto fora de casa – disse o jogador.

Grolli, por sua vez, não achou que chegou atrasado ao se jogar na área para tentar impedir que o toque rasteiro do lateral cruz-maltino chegasse a Rios.

– Não acho que falhei, me esforcei ao maximo mas não alcancei a bola! Foi um lance no qual o Mádson fez um grande cruzamento e a equipe deles teve a felicidade de abrir o placar.

Mas no segundo tempo, tudo mudou. Falhas à parte, Grolli e Reinaldo tiveram papel fundamental para garantir o ponto fora de casa. Aos 10 do segundo tempo, o Vasco ainda vencia por 1 a 0. Pikachu cruzou, Nenê escorou para o meio e Andrés Rios, pertinho do gol, bateu em cima de Grolli, que salvou em cima da linha. No rebote, ainda mandou para fora.

– Foi um lance muito importante pois o Vasco faria 2 a 0 e nos complicaria no jogo. Mas já estávamos criando algumas chances e logo em seguida conseguimos o empate que foi muito importante para nossa equipe – comemorou o zagueiro.

O lateral, por sua vez, de novo abusou da sinceridade – e do bom humor. No vestiário, a “pilha” nos companheiros foi que tinha se inspirado em Ganso para o golaço de cobertura. A verdade, porém, é que foi sem querer.

– Fiquei brincando ali com os meninos no vestiário, dizendo que joguei com o Paulo Henrique Ganso e ele sempre fazia isso… Mas não, fui tentar cruzar no segundo pau, pegou errado no pé e foi no gol. O importante é ter feito o gol e ter ajudado nesse empate.

Ele ainda lamentou não ter feito o gol no lance anterior, quando Martín Silva desviou com a ponta dos dedos e a bola explodiu no travessão:

– Aquele foi (de propósito), eu já estava até comemorando, mas o Martín fez uma grande defesa. No lance seguinte, saiu o gol de empate. Tivemos até chance de fazer o da vitória, mas não deu. O empate fora de casa é muito importante. Graças a Deus voltei a marcar. Tivemos um momento difícil, a equipe havia caído um pouco, eu também caí, é normal, mas mostramos que é uma equipe que busca o resultado, vai para frente fora de casa, dentro de casa, agora é descansar para o jogo contra o Botafogo (quarta-feira, no Estádio Nilton Santos).

GE