X

Notícias

Risco de acesso pelo WhatsApp Web e invasão do celular: pacotão

Notícias
-
27/07/2017 14:27

Tenho o WhatsApp no meu celular e as vezes utilizo o WhatsApp Web quando estou diretamente em um computador e não quero ficar pegando o celular para trocar mensagens

Foto: Reprodução web
Legenda da foto

Uso o WhatsApp Web mesmo no navegador e não o aplicativo para Windows.

Porém, fui utilizar ele e apareceu que eu já estava conectado em um outro computador. E me deu a opção de conectar nesse ou continuar usando no outro. Escolhi desconectar de todos os computadores e conectei novamente aonde eu estava acessando.

Achei muito estranho, pois sempre conecto no meu notebook ou no computador da faculdade (porém sempre encerro a conexão antes de sair) e quando olhei no app no celular o acesso tinha sido feito poucos minutos antes de mim em um navegador identificado como linux86_64 aí fiquei na dúvida se alguma pessoa estaria usando o meu WhatsApp através da Web ou se foi apenas algum bug.

Tem como eu rastrear as maquinas em que foram feitas as conexões pelo WhatsApp Web?
Luis Felipe Rodrigues

Em primeiro lugar, Luis, não recomendo que você acesse o WhatsApp Web de computadores públicos (como no caso da faculdade). Mesmo que você encerre a conexão antes de sair, o computador, caso ele esteja comprometido, teve acesso a todo o seu histórico de mensagens no período em que você estava com a sessão aberta,. Isso é muito arriscado.

Segundo, é importante observar que o WhatsApp Web não exibe somente a mensagem que você mencionou com acessos de computadores diferentes. Pode ser inclusive um acesso do mesmo computador, e do mesmo navegador, mas em outra aba. Logo, é bastante possível que tenha se tratado de um bug.

Infelizmente, o WhatsApp não possui uma lista com histórico de sessões (tal como existe no Facebook, no Google e em outros serviços). Você pode tentar entrar em contato com o suporte do WhatsApp com o seu questionamento para obter essa informação, pois eles devem ter isso armazenado. Se as informações serão cedidas, porém, não há garantia.

Invasão do celular
Gostaria de sanar uma dúvida sobre um caso de invasão em um aparelho celular.

Minha irmã tem um celular com sistema Android, e teve dados roubados como fotos e principalmente conversas de WhatsApp.
Quem o fez, foi seu ex-marido por motivos de ciúmes. O curioso é que ela diz que ele não teve acesso ao aparelho e ela também nunca instalou nenhum software através de link, SMS e tal. A verdade é que ele mostrou conversas dela com outras pessoas através do WhatsApp. Ela retrata que ele mostrou as conversas pra ela no celular dele em uma tela de fundo preto, e com várias conversas todas juntas, tudo misturado, de várias pessoas.

Será que ele conseguiu isso através da rede wireless da própria casa deles? Tem como fazer isso? Pensei em programas espiões, mas ela jura que ele nunca pegou o celular dela.
Também nunca usou WhatsApp Web.
Teria como ela se proteger para que se isso foi possível que não aconteça mais?
Desde já agradeço a atenção.
Muito obrigado e abraços.
Kleber

É improvável, Kleber, que a pessoa em questão teve acesso aos dados sem nenhuma dessas opções. Como se trata de um ex-marido, é possível que ele tenha tido acesso ao celular em um momento em que ela não tinha como perceber (enquanto dormia, por exemplo). Dependendo do aparelho, do modelo e da versão do sistema, um acesso físico pode permitir a instalação de aplicativos, mesmo que o celular tenha uma senha de bloqueio configurada.

Caso exista uma prova concreta (como ele parece ter se “incriminado” exibindo as mensagens que exibiu), ele pode ser denunciado à polícia, já que não é lícito realizar esse tipo de espionagem em outra pessoa adulta, em dispositivo particular dela, mesmo que seja cônjuge.

Dito isso, há mais uma opção. Além do próprio celular, o WhatsApp pode fazer backup das mensagens em diversos serviços de nuvem. Tendo acesso a uma dessas contas, ele pode baixar o backup e ter acesso a esse conteúdo.

Dependendo das configurações de notificação do celular, pode ser possível visualizar trechos das mensagens SMS mesmo com o celular bloqueado. Isso, por sua vez, pode viabilizar o uso de mecanismos de “esqueci minha senha” para ter acesso às contas de serviços de nuvem e, por fim, ao backup do WhatsApp.

O pacotão da coluna Segurança Digital vai ficando por aqui. Não se esqueça de deixar sua dúvida na área de comentários, logo abaixo, ou enviar um e-mail para g1seguranca@globomail.com. Você também pode seguir a coluna no Twitter em @g1seguranca. Até a próxima!

G1/Fronteira Online