X

Notícias

Seis pessoas foram presas em operação da Polícia Civil de Dionísio Cerqueira

Notícias, Policial
-
28/09/2018 12:12

Operação Navalha foi deflagrada durante a quinta-feira, com apoio da Polícia Militar

Foto: Divulgação
Legenda da foto

Policiais Civis de Dionísio Cerqueira deflagraram na manhã de quinta-feira, 27, a “Operação Navalha”. Segundo as informações o nome da operação alude a circunstâncias específicas da investigação e investigados, que objetivou a repressão ao tráfico de drogas na região de fronteira.

Seis pessoas – sendo cinco homens e uma mulher – foram presas em decorrência de mandados de prisão expedidos pelo Poder Judiciário da Comarca de Dionísio Cerqueira, sendo também lavrados dois autos de prisão em flagrante no curso da operação.

De acordo com as informações os suspeitos vinham sendo investigados pela Polícia Civil há alguns meses, mediante diligências realizadas por equipes das Delegacias de Polícia de Dionísio Cerqueira e Descanso, bem como pela Divisão de Investigação Criminal de São Miguel do Oeste.

No curso das investigações, foram registradas colaborações oriundas da Polícia Civil e Militar de Santa Catarina e do Paraná, bem como da Polícia Rodoviária Federal.

Na operação, foram apreendidas porções cocaína (natureza a ser confirmada pela perícia forense), além de uma balança de precisão, uma arma de fogo e dois veículos, dentre outros objetos úteis ao esclarecimento dos fatos.

Um dos presos foi capturado com o apoio da Polícia Militar do Estado do Paraná, enquanto se deslocava para aquele Estado.

Para cumprimento dos mandados de busca foi contado com apoio operacional do canil unidade K9 de São Lourenço do Oeste e Chapecó, bem como as Delegacias de Polícia de Palma Sola, Guarujá do Sul, São José do Cedro, Guaraciaba, São Miguel do Oeste e Maravilha e, ainda, a Delegacia de Polícia de Comarca e Divisão de Investigação Criminal de São Lourenço do Oeste, bem como a Polícia Militar de Dionísio Cerqueira.

O Delegado de Polícia Civil de Dionísio Cerqueira, Dr. Régis Augusto Stang, elogiou o empenho das diversas equipes que colaboraram na investigação, destacando também a atuação profissional dos policiais que participaram da operação policial.

As investigações terão continuidade no intuito de que sejam identificados, presos e responsabilizados outros traficantes de drogas associados, sobretudo àqueles em atuação na circunscrição da 13ª Delegacia Regional de Polícia de São Miguel do Oeste.

As penas cominadas aos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico podem ultrapassar 25 anos de reclusão, quando ocorridos em diversos Estados da Federação.

Fronteira Online