X

Notícias

Viúva de Chester Bennington fala sobre morte do cantor: ‘Perdi minha alma gêmea’

Notícias
-
28/07/2017 15:17

'Como faço para seguir em frente?', pergunta Talinda Bennington em 1º comunicado. Vocalista do Linkin Park foi encontrado morto há uma semana

Chester Bennington e a mulher, Talinda, no Billboard Music Awards 2012, em Las Vegas (Foto: REUTERS/Steve Marcus)
Legenda da foto

Talinda, a viúva de Chester Bennington, falou pela primeira vez nesta sexta-feira, 28, sobre a morte do marido, oito dias após o vocalista do Linkin Park ser encontrado morto em sua casa perto de Los Angeles, na Califórnia (EUA). Em um comunicado divulgado em sua página no Twitter, ela escreveu:

“Há uma semana perdi minha alma gêmea e meus filhos perderam seu herói – seu pai.”

“Tivemos uma vida de conto de fadas e agora ela se transformou em uma tragédia de Shakespeare. Como faço para seguir em frente? Como faço para recolher minha alma despedaçada?”

Chester e Talinda tiveram seis filhos. No texto, ela diz que encontra forças no desejo de criar as crianças “com todo o amor”. “Quero que os fãs no mundo todo saibam que nós sentimos seu amor. Sentimos sua falta também. Meus filhos são tão jovens para perder o pai. E eu sei que vocês vão ajudar a manter a memória dele viva”.

“Ele era uma alma brilhante e amorosa com uma voz de anjo. E agora ele está livre da dor, cantando suas músicas em nossos corações.”

Talinda encerra o texto pedindo solidariedade em momentos difíceis: “Que Deus abençoe todos nós e ajude-nos a recorrer uns aos outros quando sentirmos dor. Chester queria que fizéssemos isso. Descanse em paz, meu amor”.

Músico morreu após se enforcar

O corpo de Bennington, de 41 anos, foi encontrado em sua casa no último dia 20, e a polícia de Los Angeles confirmou que ele morreu após se enforcar. O Linkin Park cancelou sua turnê norte-americana.

O cantor lutou por anos contra drogas e álcool, e disse em entrevistas que já havia pensado em suicídio porque foi abusado quando criança, por um homem mais velho. Ele também já relatou que sofria com problemas estomacais. Durante shows e eventos de divulgação do disco “Meteora”, sofreu com dores abdominais e passou por uma cirurgia para curar uma hérnia de hiato. À imprensa americana, ele contou que, por causa doença, chegava a sentir vontade de vomitar quando cantava.

Chester era próximo de Chris Cornell, vocalista do Soundgarden e do Audioslave, que morreu em maio – também em um suicídio por enforcamento. O vocalista cantou a música “Hallelujah” no funeral do amigo, que completaria no dia de sua morte 53 anos.

G1/Fronteira Online