X

Notícias

Ação da PF combate grupo suspeito de comprar drogas de traficante brasileiro preso no Paraguai

Notícias, Policial
-
29/08/2017 10:50

Conforme a PF, droga entrava no Brasil por Mato Grosso do Sul, e depois era levada para ser vendida na serra gaúcha

Policial cumpre ordem judicial na manhã desta terça-feira (Foto: Divulgação/PF)
Legenda da foto

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira, 29, uma operação para desarticular um grupo criminoso responsável pela distribuição de drogas no Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Foram cumpridos sete mandados de prisão preventiva e nove de busca e apreensão nas cidades de Caxias do Sul, na serra gaúcha, Ponta Porã (MS), e em Assunção, no Paraguai.

Conforme a PF, a organização comprava cocaína de um narcotraficante brasileiro que está preso no Paraguai. A droga entrava no Brasil por Ponta Porã, e depois era levada para ser comercializada na na serra gaúcha.

O traficante preso no Paraguai já foi investigado em quatro operações da Polícia Federal, e atualmente estão em tramitação três processos que pedem sua extradição.

Jarvis Pavão cumpre pena no país vizinho desde 2009, mas também foi condenado no Brasil a 17 anos de prisão por tráfico de drogas. Ele é apontado pela Justiça do Brasil como representante, na fronteira, de uma quadrilha paulista que atua dentro e fora dos presídios.

As investigações foram iniciadas em março, e apreenderam 4,6 toneladas de cocaína e maconha nas cidade de Veranópolis (RS), Maringá (PR) e Campo Grande (MS).

Foram apreendidos ainda dois caminhões e um veículo que eram usados para transportar as drogas, além de três prisões em flagrante.

Na Operação Coroa, deflagrada nesta terça, são cumpridos quatro mandados de busca e apreensão e dois de prisão em Caxias do Sul. Em Ponta Porã são quatro ordens de prisão e cinco de buscas. É cumprida ainda uma ordem de prisão no Paraguai, conforme a PF.

A investigação apontou que a quadrilha movimentava uma grande quantidade de drogas, o que possibilitava uma vida de ostentação de um dos líderes do grupo. A Justiça determinou ainda o bloqueio das contas bancárias de seis dos investigados, além do sequestro de 13 veículos.

Coroa era objeto de admiração de um dos investigados (Foto: Divulgação/PF)

Coroa era objeto de admiração de um dos investigados (Foto: Divulgação/PF)

Disputa na fronteira

Ainda conforme a Polícia Federal, a operação visa diminuir a violência na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, onde facções disputam o controle pelo tráfico de drogas.

Em março deste ano Rony Pavão, irmão de Jarvis, foi morto a tiros no Centro de Ponta Porã quando saída da academia. A polícia investiga se o crime tem relação com a morte do traficante Jorge Rafaat sofreu uma emboscada e foi morto com tiros de uma metralhadora ponto cinquenta.

A morte teria sido parte da disputa pelo controle tanto da venda como da produção de drogas na região.

O nome da operação deflagrada nesta terça pela PF do Rio Grande do Sul foi inspirado na admiração de um dos investigados por coroas, o que era expressado por meio de tatuagens e imagens.

Entre o material apreendido estava uma coroa que era objeto de admiração de um dos investigados (Foto: Divulgação/PF)

Entre o material apreendido estava uma coroa que era objeto de admiração de um dos investigados (Foto: Divulgação/PF)

G1