X

Notícias

Achados ossos em destroços de barco holandês naufragado no século 18

Internacional, Lazer, Notícias
-
19/08/2017 12:21

Navio viajava com cerca de 300 pessoas a bordo e estava a caminho da atual Jacarta quando afundou na costa inglesa

Foto não datada e divulgada na sexta (18) mostra mergulhador recolhendo pedaços de ossos nos destroços do navio Rooswijk, no leito da costa de Ramsgate, na Inglaterra (Foto: HO/Historic England/AFP)
Legenda da foto

Uma equipe de arqueólogos marinhos anunciou nesta sexta-feira, 18, ter iniciado as escavações dos restos de um barco holandês que naufragou em frente à costa inglesa em 1740, onde foram encontrados sapatos de couro, moedas de prata e ossos da tripulação.

O “Rooswijk”, um navio da Companhia Holandesa das Índias Orientais, ia rumo à atual Jacarta quando naufragou com cerca de 300 pessoas a bordo e um grande carregamento de lingotes e moedas de prata.

Após ser descoberto em 2005, a maioria do seu carregamento foi extraída. Mas agora estão sendo realizadas novas escavações, já que se teme que as areias movediças e as correntes acabem destruindo os restos da embarcação.

Junto aos restos de alguns dos marinheiros que morreram no acidente também foram encontrados, a 26 metros de profundidade, moedas, calçado de pele, uma lâmpada a óleo, garrafas de vidro, jarros e colheres de peltre e cabos de facas gravados.

“É uma fotografia daquela época passada”, disse Alison James, arqueóloga marinha da agência cultural histórica da Inglaterra.

Entre os objetos que os especialistas encontraram também há cofres de madeira, que serão analisados com raios-X para ver o que contêm.

“Está incrivelmente bem conservado”, disse James à AFP. “São restos muito antigos e ainda há muito material no fundo do mar”.

Os restos estão sob proteção do governo britânico, embora as pesquisas sejam dirigidas e financiadas pelo governo holandês, que é proprietário dos objetos encontrados.

Este projeto é o mais importante no que diz respeito aos barcos da Companhia Holandesa das Índias Orientais, que perdeu cerca de 250 navios, dos quais apenas um terço foram localizados.

G1