X

Notícias

Acusado de homicídio é condenado a mais de 21 anos de prisão

Justiça, Notícias, Policial
-
18/08/2017 18:46

“Gibi”, foi condenado pelos crimes de homicídio qualificado, disparo de arma de fogo e porte ilegal de arma

Foto: Arquivo Fronteira Online
Legenda da foto

Em sessão do Tribunal do Júri, realizada nesta sexta-feira, 18, o réu Juliano Rodrigues dos Santos, vulgo “Gibi”, foi condenado a mais de 21 anos pelo cometimentos dos crimes de homicídio qualificado, disparo de arma de fogo e porte ilegal de arma.

Conforme a denúncia, no dia 21 de dezembro de 2012, por volta das 3h30, no Bar Drinks Mercosul, na BR 163, nas proximidades da Aduana de Cargas, em Dionísio Cerqueira, o réu atirou e matou de cinco tiros a vítima e dono do bar, Rivelino Delgado, à época com 36 anos. O homicídio ocorreu no interior do estabelecimento comercial da vítima.

Juliano, foi preso cerca de seis meses após o crime, em junho de 2013, após ter fugido para Argentina. Na ocasião, após sua prisão o delegado da época, definiu o réu como uma pessoa extremamente perigosa e violenta, com várias passagens por crimes de homicídios e tentativas de homicídios, tanto no Brasil como na Argentina.

Nessa data, os integrantes do tribunal do júri decidiram condenar o réu, conforme a denúncia do Ministério Público – homicídio qualificado, disparo de arma de fogo e porte ilegal de arma – restando a pena estipulada pelo juiz da comarca em 21 anos, 4 meses, e 22 dias de reclusão em regime fechado, e ainda ao pagamento de 22 dias multa.

Da pena, 16 anos e 4 meses de reclusão pelo cometimento do homicídio de Rivelino Delgado; 2 anos e 4 meses de reclusão e 11 dias-multa pelo cometimento do crime de porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, com a agravante da reincidência e com atenuante da confissão espontânea; e ainda 2 anos, 8 meses e 20 dias de reclusão e 11 (onze) dias-multa pelo cometimento do crime de disparo de arma de fogo, com agravante da reincidência. Sendo o crime declarado ainda de caráter hediondo.

Na defesa do réu atuou a Dra. Ana Carla Weiss, na acusação o Ministério Público, através do Promotor, Dr. Francisco Ribeiro Soares. O Tribunal do Júri foi presidido pelo Juiz da Comarca, Dr. Luciano Fernandes da Silva.

Juliano Rodrigues dos Santos, vulgo “Gibi”, acusado de homicídio triplamente qualificado, disparo de arma de fogo e posse de arma. (Foto: Arquivo PC)

Juliano Rodrigues dos Santos, vulgo “Gibi”, acusado de homicídio triplamente qualificado, disparo de arma de fogo e posse de arma. (Foto: Arquivo PC)

Fronteira Online