X

Notícias

Advogado Túlio Bandeira é preso em operação do Gaeco, em Santo Antônio do Sudoeste

Notícias, Policial
-
16/05/2018 10:16

Operação na qual ele foi preso investiga pagamentos de empresas a agentes públicos (prefeitos e vereadores) para a aprovação de projetos que lhes favoreciam, segundo o MP

Túlio Bandeira já foi candidato a prefeito de Foz do Iguaçu e a governador do Paraná (Foto: Divulgação)
Legenda da foto

Um dos investigados na Operação Sinecuras – o advogado Túlio Bandeira (que chegou a ser candidato ao governo do Estado do Paraná) – foi preso preventivamente nesta terça-feira, 15 de maio, em ação coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná.

A operação é um complemento da Operação Fim de Feira, que investiga crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, peculato, crimes contra licitações, falsidade ideológica e estelionato praticados em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba.

Em decorrência da Operação Sinecuras, já foram presos vários membros da organização criminosa, incluindo dois ex-prefeitos, três vereadores e sete ex-vereadores. Todas as denúncias relacionadas às três fases da operação foram recebidas pelo Judiciário – os processos estão em fase de citação dos investigados.

A operação investiga, entre outros crimes, pagamentos a vereadores e ex-vereadores, feitos por pelo menos três empresas que tinham contratos com a prefeitura, para compra de apoio a projetos do Executivo de interesse das empresas. Os valores pagos mensalmente giravam em torno de R$ 120 mil, e o acordo em troca de apoio permitia aos vereadores a indicação de pelo menos cinco servidores para ocupação de cargos em comissão na prefeitura (alguns vereadores chegaram a indicar ocupantes para 11 cargos comissionados).

A situação durou de janeiro de 2013 a julho de 2016, totalizando pagamentos de aproximadamente R$ 5 milhões, segundo as investigações.

Histórico

Túlio Bandeira disputou as últimas eleições para a Prefeitura de Foz do Iguaçu, pelo PROS, e já foi candidato a governador do Paraná. Ele também foi preso na Operação Pecúlio, acusado de participação em um esquema de corrupção na Prefeitura de Foz do Iguaçu.

MPPR/ Fronteira Online