X

Notícias

Após 11 dias, Grêmio volta a jogar, mas ainda precisa superar baixas no time

Esportes, Nacional
-
13/05/2017 10:20

Entre os atletas lesionados, Renato conta apenas com o retorno de Gastón Fernández. Técnico acha difícil repetir desempenho de 2016 por causa de mudanças na equipe

Renato espera melhor nível do time para domingo (Foto: Lucas Uebel/Grêmio)
Legenda da foto

O domingo será de algo alijado da rotina do gremista nos últimos tempos: ver o Grêmio em campo, seja sentado nas confortáveis cadeiras da Arena ou no sofá de casa. Foram 11 dias de descanso, treinos intensos e trabalhos táticos para ajustar o time. Era, também, período para recuperar os jogadores lesionados. Mas Renato ganhou apenas um reforço do departamento médico e precisará superar as ausências na estreia contra o Botafogo, às 19h, em casa.

O período, claro, foi forçado pela eliminação no Campeonato Gaúcho. Sem a final, o Tricolor pode recuperar o elenco antes de uma sequência pesada e deu folga de dois dias aos jogadores. Antes de trabalhar a parte física e tática, muitos foram para a serra gaúcha, conforme postagens nas redes sociais. Os exercícios, depois, foram intensos.

Com a folga na tabela de jogos, o Grêmio esperava ter tempo para recuperar Gastón Fernández, Maicon e Edílson no período. O argentino já está à disposição, enquanto o lateral até se recuperou, mas segue fora.

A expectativa é que, após lapidar a questão física e fazer trabalhos táticos, haja uma melhora de desempenho. Houve mobilização no vestiário com a presença do presidente Romildo Bolzan. No dia a dia, ocorreram treinos intensos, especialmente no começo da semana, com atividades em campo reduzido. Em duas oportunidades, Renato fechou o treino para trabalhar a parte tática – quinta e sexta. O técnico, contudo, não quis entrar em detalhes sobre o que pode mudar. Até por conta dos desfalques relevantes para o time.

– O que espero é que se possa voltar a (ter um desempenho) pelo menos perto do que vínhamos jogando. Não é desculpa, mas fica difícil. Se você pegar o time que vem jogando, ou o time de domingo, não tem 50% da equipe que acabou o ano passado. É difícil querer cobrar aquele futebol no momento que se perde metade do time – disse o treinador gremista.

O comandante, ídolo máximo do clube e responsável por liderar a campanha do título da Copa do Brasil no ano passado, prefere não projetar o futuro do Grêmio nas competições que ainda tem pela frente. O padrão tático deve ser mantido, com o 4-2-3-1, esquema dos últimos dois anos, e a base da escalação sendo mantida.

A dúvida, basicamente, é por conta da ausência de Edílson, ainda com três jogos a cumprir pela punição recebida em 2016, após desferir socos no colorado Rodrigo Dourado, no Gre-Nal da Arena. Como Léo Moura vai para a lateral, Gata Fernández, Arthur, Jailson e Fernandinho são as opções para o meio.

– A própria imprensa fez uma pesquisa. Consideraram o Grêmio como oitavo melhor plantel. Não vou falar que é oitavo nem primeiro. Todo mundo tem a mesma chance de ser campeão hoje, como de ser rebaixado. O que posso falar, as palavras do presidente, não somos piores do que ninguém, mas não têm melhores que a gente – completou Renato.

O Grêmio treina ainda na manhã deste sábado antes do confronto com o Botafogo. A partir desse jogo, começa uma maratona que envolve as oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Fluminense – já inicia na próxima quarta – e a Libertadores.

GRÊMIO X BOTAFOGO – BRASILEIRÃO – PRIMEIRA RODADA

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Data e hora: Domingo (14/05), às 19h

GE/ Fronteira Online