X

Notícias

Carros mais vendidos do Brasil têm menos itens de segurança do que nos EUA e Europa

Geral, Notícias, Segurança
-
17/05/2017 14:15

Legislação brasileira exige menos equipamentos do que em outros países; Argentina, por exemplo, é mais rígida. Veja o que os modelos oferecem e compare

Carros mais vendidos do Brasil em abril de 2017 (Foto: Divulgação)
Legenda da foto

A resposta da General Motors de que “cumpre todos os requisitos” de segurança para a venda do Chevrolet Onix, dada após a divulgação de zero estrela para o modelo em teste independente do Latin NCap, evidencia o descompasso do mercado brasileiro com os de países mais maduros nessa questão.

Mesmo tendo adotado a obrigatoriedade de airbags frontais e freios ABS em 2014, o país ainda está atrás em termos de exigências de equipamentos de segurança.

Dos 10 modelos que figuraram entre os mais vendidos no Brasil em abril último, 5 são menos equipados aqui do quando vendidos nos Estados Unidos ou na Europa.

A lista inclui o campeão de vendas mundial, o sedã Toyota Corolla, os SUVs Honda HR-V e Jeep Compass, e os compactos Ford Ka/Ka e Renault/Dacia Sandero .

Os outros 5 que não são oferecidos naqueles mercados tem ainda menos itens de segurança do que os modelos globais. É o caso do Onix e sua versão sedã Prisma, do Volkswagen Gol, do Fiat Mobi e do Hyundai HB20.

‘Hermana’ é mais exigente

Até a vizinha Argentina é mais dura com as montadoras. Lá já é exigida a fixação para cadeirinhas do tipo Isofix, mais prática e que conta pontos em avaliações como a do NCap.

Por ora, a lei só abrange modelos criados de 2016 em diante. Por isso, ela não se aplica ao Onix, que ainda é vendido sem o item tanto lá quanto no Brasil. Mas vale para o “novato” Mobi, que adotou o recurso no mercado argentino e o deixou de fora no brasileiro.

A partir do ano que vem, todos os carros novos serão obrigados a ter Isofix na Argentina. Também em 2018, esses veículos deverão sair de fábrica com controle de estabilidade, que evita derrapagem.

Ambas as exigências estão previstas no Brasil, só que com prazos mais longos. O controle de estabilidade primeiro deverá ser adotado em carros inéditos, daqui a 3 anos, e só em 2022 será obrigatório para todos os carros zero.

Também para 2020 está prevista a exigência do Isofix: ao mesmo tempo, os veículos serão obrigados a ter apoios de cabeça para todos os assentos e apenas cinto de segurança de 3 pontos. Diversas montadoras ainda usam o cinto abdominal, menos seguro, mas ainda legal, no assento do meio do banco traseiro, e “economizam” no apoio de cabeça nessa mesma posição.

EUA e Europa são os mais avançados em termos de segurança. Além de airbags, ABS e Isofix, o mercado americano começará a cobrar frenagem automáticat nos carros a partir de 2022, em acordo feito com as montadoras, e não por força de lei. Na Europa, o equipamento é obrigatório desde novembro de 2015.

Veja abaixo os principais itens de segurança dos líderes de venda no Brasil e veja como eles são equipados em outros mercados.

G1/Fronteira Online