X

Notícias

Chape e associações de vítimas unificam discurso e tratam reunião como marco histórico

Esportes, Nacional
-
25/08/2017 09:54

Entidades e clube se encontram para definir diretrizes para apoio aos familiares dos mortos na tragédia aérea da Colômbia; as três partes deixam o encontro satisfeitas

Encontro foi realizado na tarde desta quinta-feira (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)
Legenda da foto

Chapecoense e as associações de familiares das vítimas da tragédia aérea da Colômbia saíram satisfeitas da reunião realizada na tarde desta quinta-feira. O encontro realizado na sede do clube durou pouco mais de três horas e tratou de temas acerca das atuações das três entidades na assistência às famílias e também o repasse de valores feitos pelo clube.

As três partes consideraram a reunião como um marco em relação ao atendimento às famílias das vítimas. Fabienne Belle, presidente da Associação dos Familiares das Vítimas do Voo da Chapecoense (AFAV-C) e viúva do fisiologista Cesinha, ressaltou a retomada da relação com o Verdão.

– Este encontro foi um marco para as três associações. Uma oportunidade onde observamos as necessidades reais entre as famílias. Estabelecemos como um recomeço em nossas relações, com objetivo de buscar ações conjuntas que realmente tragam apoio e benefícios às famílias, que são as principais interessadas em suporte – afirmou.

Gabriel Santos Cordeiro de Andrade, presidente da Associação Brasileira da Vítimas do Acidente com a Chapecoense (Abravic), falou sobre a possibilidade de uma unificação entre as duas entidades.

– A associação é importante porque dá legitimidade e representatividade para levar isso para a iniciativa privada e o poder público. Existe a possibilidade (de unificação). Isto já é um grande marco para tentar unir os esforços. Pelo menos por parte da Abravic, é uma possibilidade real – disse.

– Este dia é um marco para todas as situações serem equacionadas. Que a partir de hoje seja estabelecido um diálogo de alto nível que possa contemplar as associações e o clube – disse Fernando Mattos, diretor de comunicação da Chapecoense.

O longo tempo de reunião serve para demonstrar também a resolução de desentendimentos passados. O GloboEsporte.com apurou que não houve animosidade entre as partes, mas os descontentamentos foram expostos. Por fim, todos decidiram focar no futuro, com posições convergentes e alinhadas.

Houve uma aproximação entre as associações e a Chapecoense. O intuito é a convergência para melhor atendimento e a solução de conflitos.

– O objetivo é comum, temos que lutar por essa causa, pela imagem dela, para conseguirmos fazer de uma tragédia uma solução bem aplicada para quem ficou – disse Gabriel.

– É o início de uma nova fase. Encontramos o diálogo e um diálogo que visa convergir em ações práticas para benefícios das famílias São diversas propostas de apoio a causas humanitárias e outras que ainda estamos organizando – contou Fabienne.

De acordo com fontes, a postura do presidente da Chapecoense agradou aos participantes. Maninho foi considerado receptivo e transparente e também se prontificou a melhorar a agilidade na organização da assistência social às famílias, uma das reclamações das associações.

Os valores arrecadados pela Chapecoense na viagem ao exterior também foram pauta no encontro. Um percentual do dinheiro está reservado às famílias. Em alguns casos, o repasse será de 50% do lucro obtido, em outros, há uma porcentagem diferente.

As famílias que não estão associadas nas entidades representantes também receberão os valores. No entanto, a forma de distribuição será decidida pelas duas associações e pelo clube.

– O clube vem entendendo que todos estes recursos precisam ser usados para reestruturação do clube, mas também em prol das famílias. O presidente Maninho se propôs a repassar parte destes recursos para as famílias, a forma de fazer isso será discutida entre as três partes. Vamos estruturar essa forma de divisão, mas os recursos já estão separados pela Chapecoense – afirmou Gabriel.

– É um primeiro passo para atender a todos e não apenas os associados. Há inclusive a possibilidade de atender às famílias de pessoas que não são do nosso país. São passos a serem dados um de cada vez, mas a meta é contemplar todas as famílias – contou Mattos.

A próxima reunião entre as três partes deve acontecer daqui 15 dias. A ideia das entidades e do clube é avançar no modelo de distribuição das arrecadações de valores feitas pela Chapecoense.

GE