X

Notícias

Como foi o Brasileirão do Corinthians: recordes, recordes, mais recordes e título

Esportes, Nacional
-
05/12/2017 09:21

Timão tem primeiro turno quase perfeito, tira um cochilo no segundo, mas, ainda assim, é campeão com sobras (e com o artilheiro Jô)

Corinthians garantiu o seu sétimo título do Campeonato Brasileiro (Foto: Marcos Ribolli)
Legenda da foto

A Fiel torcida não tem do que reclamar. O Corinthians não só conquistou o heptacampeonato brasileiro, como também bateu marcas, acumulou ótimo desempenho em clássicos (72,2%) e pela primeira vez na história teve o artilheiro da competição – Jô, com 18 gols.

Mas quem foi o melhor jogador do Timão na competição? E o pior? Qual foi o melhor e o pior jogo? E a revelação? O GloboEsporte.com traz abaixo um raio-x da equipe.

O Timão teve vários jogos memoráveis na campanha do hepta, mas o clássico contra o Palmeiras, ainda no primeiro turno, é apontado pelo técnico Fábio Carille como uma “aula de futebol”. Mesmo jogando na arena do rival, o Corinthians sofreu pouco sustos e venceu com autoridade.

Outras partidas também merecem destaque, como as vitórias, fora de casa, sobre o Grêmio (1 a 0, no primeiro turno) e Atlético-MG (2 a 0, também na primeira metade da competição).

Na 21ª rodada, o Corinthians estava invicto há cinco meses e liderava o campeonato com sobras, mas foi surpreendido em Itaquera pelo Vitória. O Timão saiu atrás no placar, apresentou dificuldades para criar e acabou perdendo pela primeira vez.

A equipe também foi mal e perdeu do lanterna Atlético-GO, em casa, e esteve abaixo de sua média nos tropeços diante de Bahia, Botafogo e Ponte Preta. Nas últimas rodadas, o Corinthians foi batido por Flamengo e Sport, mas utilizou diversos reservas nestas partidas.

Vários atletas se destacaram na campanha do hepta, mas nenhum deles brilhou tanto quanto Jô. Artilheiro do campeonato, com 18 gols, ao lado de Henrique Dourado, do Fluminense, ele foi fundamental para a conquista do título.

Além de decidir jogos com bolas nas redes e também servindo os companheiros, ele usou sua experiência para aconselhar os companheiros mais jovens e exerceu papel de liderança durante os momentos de oscilação da equipe no segundo turno.

Até mesmo os jogadores contestados pela torcida acabaram sendo importantes para o título do Timão. Foram os casos, por exemplo, de Giovanni Augusto e Kazim, que fizeram gols decisivos na reta final do campeonato. Também houve atletas que oscilaram de rendimento durante a competição, casos de Maycon e Jadson, ou reservas que não entraram bem, como Fellipe Bastos e Léo Príncipe, mas não é possível apontar um único destaque negativo.

O zagueiro paraguaio fez a alegria dos cartoleiros ao longo das 38 rodadas. Além de ajudar o Timão a não sofrer gols em diversos jogos e ser responsável por inúmeros desarmes, o jogador somou pontos balançando as redes – ele marcou quatro gols no campeonato.

Balbuena foi o zagueiro com maior pontuação no Cartola: 160.70.

A derrota para o Santos por 2 a 0, na Vila Belmiro, na 23ª rodada do Brasileirão, acabou não fazendo muita diferença na classificação final. Porém, se tivesse evitado a derrota, o Corinthians terminaria a temporada invicto em clássicos.

Outro tropeço que impediu uma marca do Timão foi diante do Flamengo, na 36ª rodada, quando a equipe já havia garantido o título. Se tivesse batido o Rubro-Negro, o time comandado por Fábio Carille alcançaria o feito de ter vencido todos os adversários do campeonato.

Promovido ao elenco profissional logo no começo do ano, depois do título da Copa São Paulo de Juniores, o meia-atacante rapidamente se tornou um xodó da torcida.

Por conta de um trabalho de fortalecimento muscular e também devido a uma cirurgia para a retirada das amígdalas, Pedrinho não conseguiu ter uma sequência na equipe, mas mesmo assim teve boas e importantes atuações. No Brasileirão, a principal partida dele foi contra o Botafogo, na 11ª rodada, quando entrou no segundo tempo e fez a jogada do gol da vitória por 1 a 0, anotado por Jô.

Apontado como quarta força de São Paulo no início do ano, o Corinthians teve uma temporada surpreendente e arrasadora. Embora o time tenha sido campeão estadual, não esperava-se tamanha superioridade no Brasileirão, principalmente no primeiro turno, no qual o Timão terminou invicto, algo que nunca havia acontecido.

A pontuação na primeira metade da competição também foi recorde: 47 de 57 disputados.

A equipe de Fábio Carille encerrou o campeonato com mais vitórias (21), menos derrotas (oito), a melhor defesa (30 gols sofridos) e o melhor desempenho como mandante (71,9%) e visitante (54,3%).

Teve recorde também nas arquibancadas. O Timão superou a média de 40 mil pagantes por jogo no Campeonato Brasileiro – 40.007, mais precisamente – sendo a melhor performance corintiana dos últimos 35 anos neste quesito. O maior público foi na vitória por 3 a 2 sobre o Palmeiras, no início de novembro: 46.090 pessoas, em clássico com torcida única.

GE