X

Notícias

Delegado identifica novas vítimas de pastor e esposa presos por estuprar menor para tirar ‘maldição do sexo’

Notícias, Policial
-
26/09/2017 09:40

Mulheres devem ser ouvidas pela Polícia Civil de Edeia nesta semana. Casal está detido em Goiás, eles negam as acusações

Pastor e mulher são presos suspeitos de estuprar menina em Edeia (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Legenda da foto

Após um pastor e a esposa dele serem presos suspeitos de estuprar uma adolescente alegando combater a “maldição do sexo”, a Polícia Civil localizou mais três vítimas do casal em Edeia, no sul de Goiás. O delegado Quéops Barreto, responsável pelo caso, informou que elas ainda devem ser ouvidas na delegacia. O casal nega todas as acusações.

“Outras pessoas se pronunciaram dizendo ou que aconteceu com elas, ou que tentaram. Acreditamos que existam ainda mais, mas não foram localizadas ainda. Essas meninas ainda não prestaram depoimento formal, então ainda não sabemos se a situação foi a mesma apresentada pela primeira vítima ou se houveram outras alegações”, afirmou o delegado.

A primeira denúncia de abuso por parte do casal foi feita por uma adolescente de 16 anos. Conforme Barros, os abusos começaram quando ela tinha 13 anos e duraram cerca de 2 anos. O pastor e a esposa foram presos na sexta-feira, 22, após investigação apontar que eles usavam da fé da vítima para realizar os atos.

“O pastor disse que ela deveria fazer o ‘Sacrifício de Abraão’ porque ela tinha a maldição de sexo e só quebrava com sexo. Ele falava que, se não fizesse, a mãe e os irmãos iam morrer, usava a fé e o medo”, explicou Barreto.

Denúncia

De acordo com Barretos, a caso só foi descoberto agora porque a mãe da vítima estranhou o comportamento da filha relacionado à questão de virgindade no namoro. Ao questioná-la, a adolescente revelou o que aconteceu.

A mãe da adolescente contou que a menina revelou a participação dos dois nos abusos. “Chamou ela para orar e falou que Deus estava pedindo a virgindade dela. ‘Ela me levava na igreja, fazia eu ajoelhar e jurar em nome de Deus que eu não iria contar nada para ninguém’. Eu acredito que a justiça vai ser feita e ele vai ser punido por isso para não acontecer com mais ninguém”, afirmou em entrevista à TV Anhanguera.

O casal está detido na unidade prisional de Edeia. Eles devem responder por estupro de vulnerável, já que ela era uma criança quando o crime ocorreu.

G1