X

Notícias

Estudante de medicina preso por pornografia infantil é libertado após pagar fiança de R$ 20 mil

Notícias, Policial
-
20/09/2017 11:03

Ele foi preso enquanto trabalhava no plantão em um hospital de Porto Alegre. Em sua casa foram encontrados milhares de arquivos de pornografia infantil.

Estudante com os agentes no momento em que era preso (Foto: Divulgação/MP)
Legenda da foto

O estudante de medicina preso na terça-feira (19) por armazenamento e produção de material pornográfico infantil pagou fiança de R$ 20 mil e vai responder ao processo em liberdade.

O homem, de 27 anos, é estudante do sétimo semestre de medicina, e foi preso na terça enquanto trabalhava no plantão em um hospital de Porto Alegre. De acordo com a polícia, o caso veio à tona após o pai de um menino de 10 anos, morador de São Paulo, relatar o caso às autoridades.

Os agentes foram primeiro até a casa do homem de 27 anos para cumprir mandado de busca e apreensão, mas ele não estava. Se dirigiram, então, até o local de trabalho.

Conforme os investigadores, ele aceitou voltar para casa, onde todo o material foi apreendido. As imagens estavam no computador dele.

De acordo com o promotor da Infância e Juventude do MP, Julio Almeida, as investigações realizadas apontaram que o estudante usava a rede (de internet) da faculdade onde estudava para trocar arquivos e fazer contato com uma das vítimas. O estudante também realizava trabalho voluntário junto a crianças e adolescentes.

“Aprofundamos as investigações e chegamos ao perfil da pessoa, chegamos a elementos importantes da vinculação do investigado com a sexualidade. E pelo trabalho voluntário que ele realizava com crianças e adolescentes, e logo se soube que se tratava de um estudante de medicina”, afirmou Almeida, dizendo que a Justiça autorizou a quebra de sigilo de todas as mídias do investigado.

A pena, em caso de condenação, é de quatro anos de reclusão.

O caso chegou ao Ministério Público há 15 dias por meio de informações repassadas pela Polícia Civil de São Paulo. O pai da criança de 10 anos encontrou no computador do menino conversas com o estudante.

A Polícia Civil de São Paulo descobriu então um perfil falso, e chegou à identidade do suspeito, repassando as informações para a o MP.

Conforme a diretora do Departamento de Polícia para Crianças e Adolescentes (Deca), Adriana Regina Costa, o caso serve como alerta para os pais.

“Ele [estudante] se utilizava da internet para ter contato com a vítima, por isso a divulgação serve como prevenção e alerta para os pais com os filhos na internet”, salientou.

G1