X

Notícias

Fim de semana deve ter temperatura na casa dos 30ºC em Santa Catarina

Notícias
-
25/08/2017 16:47

A semana começou com mínimas abaixo de zero e geada em cidades catarinenses, mas deve terminar com termômetros marcando 35ºC no Extremo Oeste, de acordo com a previsão da Epagri/Ciram, órgão estadual de monitoramento do tempo e do clima

Foto: Cristiano Estrela / Diário Catarinense
Legenda da foto

Conforme a técnica em meteorologista Gilce Griss Juttel, da Epagri/Ciram, as temperaturas ficam elevadas no Oeste e no Sul do Estado por conta de uma frente fria estacionária entre o Uruguai e o Rio Grande do Sul. Já no Litoral, um sistema de alta pressão no oceano faz com que a umidade do mar atue no continente, deixando as temperaturas amenas.

Nesta sexta-feira todas as regiões tem sol entre algumas nuvens, com tempo mais encoberto entre o Meio-Oeste e o Litoral Norte. Também há chance de chuva fraca por alguns momentos na Grande Florianópolis e no Litoral Norte, por causa dessa umidade que vem do mar. As temperaturas ficam mais altas no Oeste e no Litoral Sul, com máximas de 35ºC e 32ºC.

No sábado, a temperatura continua alta para a época do ano em todas as regiões, especialmente no Extremo Oeste e Oeste, onde os termômetros indicam máximas de 35ºC e 30ºC, respectivamente. Nas outras regiões, as máximas ficam entre 23ºC e 29ºC.

A nebulosidade aumenta em todas as regiões no domingo, com períodos de chuva entre a tarde e a noite e risco de temporais isolados, especialmente no Extremo Oeste. As temperaturas seguem entre amenas e elevadas em todas as regiões.

Próxima semana

A segunda-feira começa com sol entre algumas nuvens, principalmente no Meio Oeste e Alto Vale do Itajaí, há chance de chuva no Litoral Sul e na Serra. A situação permanece semelhante na terça e na quarta-feira. Na madrugada de quinta e sexta, deve ocorrer um declínio acentuado da temperatura.

Maré seca

Outro fenômeno que pode ser observado em Santa Catarina até sábado é a maré seca, que resulta da influência da lua nova e da persistência do vento do quadrante Nordeste, associado a um centro de alta pressão no oceano. A combinação destes fatores provocam o afastamento das águas do mar da costa para o oceano aberto resultando na maré baixa.

DC/Fronteira Online