X

Notícias

Fora do G-4, Inter evita “paranoia” e mira retomada na Série B contra o Paysandu

Esportes, Nacional
-
25/05/2017 09:59

Com um jogo a menos, Colorado enfrenta o Papão para voltar à zona de classificação, com chance de ser líder da Série B; equipe tem apenas uma vitória nos últimos sete jogos

Inter evita "paranoia" com posto fora do G-4 da Série B e um jogo a menos (Foto: Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação)
Legenda da foto

O empate em 1 a 1 com o ABC, no último sábado, no Beira-Rio, despertou a revolta da torcida colorada, em meio a uma sequência com apenas uma vitória em sete jogos com Antônio Carlos Zago na temporada. E a série negativa ganhou um elemento a mais nesta terça-feira. Os resultados paralelos da 3ª rodada da Série B deixam o Inter fora do G-4 da competição. A delegação ruma a Belém para encarar o Paysandu, no próximo sábado, com uma obrigação a mais para buscar a retomada na temporada. Mas não a ponto de causar preocupação à diretoria e ao elenco.

Envolto em pressão, o Colorado se mobiliza para evitar a “paranoia” após apenas duas partidas pela competição nacional e com um jogo a menos na tabela. Com respaldo total ao trabalho de Zago, o departamento de futebol mantém a crença de que a equipe logo terá regularidade, a partir da adaptação plena de peças como William Pottker, Marcelo Cirino e Felipe Gutiérrez.

– Eu nem me atentei a isso. Se começar a pensar já na terceira rodada que se está fora do G-4, com um jogo a menos, é paranoia. Tem que ir jogo a jogo, ter regularidade e chegar mais tranquilo. Não pode (ter essa preocupação) na terceira rodada com jogo a menos. Nossa preocupação… Claro. Queremos vencer todos os jogos, estar na liderança. O importante é estar em primeiro ao final do campeonato. Queremos estar entre os quatro e subir – afirma o vice de futebol Roberto Melo ao GloboEsporte.com.

Até porque o quadro de cobranças praticamente se inverte com uma vitória sobre o Paysandu. O Colorado fechou a 2ª rodada na quarta colocação da tabela, com quatro pontos. As vitórias do CRB e do Guarani, sobre Santa Cruz e Figueirense, respectivamente, empurraram a equipe para sexta posição. Claro, há de se levar em conta o jogo a menos que os outros dois rivais, assim como Paraná (5º) e Goiás (17º), que adiantaram um duelo pela quarta rodada.

Caso vença o Paysandu longe do Beira-Rio, o Colorado não só amaina a pressão sobre Zago como assume a liderança por pontos da Série B, com os mesmos sete do CRB, atual líder. O Inter, aliás, tem boas chances de encerrar a rodada na ponta, a depender do saldo de gols.

Sequência negativa liga alerta

Projeções à parte, um triunfo em Belém passa pela evolução da equipe para deixar para trás a sequência atual de resultados. O Colorado soma apenas uma vitória nos últimos sete jogos, com duas derrotas e quatro empates, mas com uma ressalva. O revés para o Caxias veio seguido de vaga na final do Gauchão, conquistada na disputa de pênaltis, a exemplo do que ocorreu no empate em 1 a 1 com o Corinthians, na quarta fase da Copa do Brasil. Se for levado em conta as últimas 10 partidas, foram três vitórias, cinco empates e duas derrotas – 46% de aproveitamento.

A semana livre para trabalhos até o duelo com o Paysandu serve para corrigir detalhes de posicionamento defensivo e na conclusão das jogadas de ataque – preocupação que é fruto do tropeço dentro de casa contra o ABC. No último sábado, o Colorado com três atacantes empilhou chances nos primeiros minutos de partida, mas pecou justamente pela falta de pontaria. Com o 1 a 0 magro e parcial, a equipe cedeu o empate numa desatenção na defesa, após bela jogada individual de Dalberto, que passou por três colorados pela direita antes de cruzar para Adriano Pardal.

– Eu acho que vamos melhorando jogo a jogo. Está começando. A partida passada foi um empate, mas consideramos que lutamos muito, de toda a forma para conseguir os três pontos. Não conseguimos marcar o 2 a 0, nosso objetivo no segundo tempo. Aí, se complicou um pouco. Eles não criaram perigo. Temos que melhorar a cada partida, para conquistar o objetivo final que é subir ser campeão da Segunda Divisão – avalia o chileno Gutiérrez.

A irregularidade recente não demove, porém, a confiança de Antônio Carlos no trabalho e no desempenho da equipe a cada partida. De acordo com o treinador, o Inter apresenta um futebol que não demonstrava “há muito tempo”, mesmo que os resultados estejam abaixo do esperado. De quebra, o treinador conta com todo seu elenco à disposição para encarar o Paysandu e tem opções de sobra para armar a equipe, seja no 4-3-2-1 ou no 4-1-4-1, com três atacantes, como no sábado.

– A pressão é desde o início do ano, é um clube grande na série B. Tem que pensar a cada jogo. Procurar trabalhar, como estamos trabalhando. Pelo que acompanhei nos úiltimos anos, há muito tempo não atuava como vem jogando, com saída, toque de bola, posse de bola. Posse no campo do adversário. O trabalho vem sendo bem feito, é o início da Série B, e temos que dar seguimento a isso – ressalta Zago.

O Colorado segue os treinamentos em Porto Alegre até a quinta-feira, quando embarca, à tarde, a Belém. No sábado, o Inter enfrenta o Paysandu às 16h30, no Mangueirão, pela 3ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro

GE/ Fronteira Online