X

Notícias

Morcego com vírus da raiva é encontrado em casa de Curitiba

Notícias, Saúde
-
22/09/2017 10:51

Situação foi registrada no Cajuru; apesar de mais este caso, a administração municipal garantiu que o fato não representa um aumento do problema

No 1º semestre deste ano, um morcego encontrado morto dentro de um apartamento, no bairro Ahú (Foto: Reprodução/RPC)
Legenda da foto

Um morcego com o vírus da raiva foi encontrado em uma casa no bairro Cajuru, em Curitiba, nesta semana, de acordo com a Secretaria Municipal da Saúde. O vírus foi identificado pelo Laboratório Central do Paraná (Lacen).

Segundo a prefeitura, este é o quarto caso registrado em 2017. Os outros morcegos tinham sido achados no Atuba, no Alto da Glória e no Ahú. Os quatro, conforme a administração municipal, eram insetívoros – ou seja, que se alimentam de insetos.

A informação sobre o quarto morcego com o vírus da raiva foi divulgada pela prefeitura na quinta-feira, 21.

Apesar de mais este caso, a administração municipal garantiu que o fato não representa um aumento do problema. Em 2016, ainda de acordo com dados da Prefeitura de Curitiba, houve dois casos de morcegos com o vírus da raiva.

A Unidade de Vigilância em Zoonoses explicou que a maioria dos morcegos é saudável e tem um papel biológico importante no controle de insetos e na disseminação de sementes. Portanto, eles não devem ser mortos, enfatizou a administração municipal.

Cuidados necessários

A prefeitura relatou que, em todos os casos, a Unidade de Vigilância de Zoonoses visitou todas as residências nos arredores do local onde os animais foram encontrados e, depois, removidos. A visitação, segundo administração municipal, é para instruir os moradores sobre os cuidados que devem ser tomados ao encontrar morcegos.

A orientação da Secretaria Municipal da Saúde é para que a população evite contato com o morcego, morto ou vivo. Ao encontrar o animal, deve-se isolar o local – fechando a porta do cômodo, por exemplo – ou então prender o morcego com balde, se ele estiver no chão. Dessa maneira, evita-se o contato dele com animais domésticos e pessoas.

Bloqueio sanitário

Conforme a administração municipal, a cidade não tem casos de raiva em humanos desde 1975. Já a raiva canina não é registrada desde 1981 e, em felinos, desde 2010.

Para manter a ausência dos casos de raiva nos cachorros e gatos, a Secretaria Municipal da Saúde reforça o alerta sobre a importância da vacinação anual destes animais para que o bloqueio sanitário seja mantido.

A vacinação contra raiva de cães e gatos pode ser feita de graça na Unidade de Vigilância de Zoonoses, que fica na Rua Lodovico Kaminski, nº 1.381, CIC – Caiuá. O horário de atendimento é das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30.

Para humanos, de acordo com a Unidade de Vigilância em Zoonoses, não há indicação de vacinação prévia. A exceção é para os profissionais que trabalhem na área e com manejo de animais ou, então, em casos graves de mordidas de animais em humanos.

G1