X

Notícias

Perseguição ao líder, pé no freio e G-4: como foi o Brasileirão do Grêmio

Esportes, Nacional
-
05/12/2017 08:58

Quarto colocado, Tricolor esbanja bom futebol, mas perde fôlego ao utilizar reservas em 10 jogos

Luan marca contra o Flamengo (Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG)
Legenda da foto

De forma natural, o Grêmio conseguiu fazer bonito mesmo sem priorizar o atual Campeonato Brasileiro. Quanto o Tricolor teve força máxima, os comandados de Renato Portaluppi esbanjaram qualidade e se mantiveram na cola do campeão Corinthians até a reta final. Não conseguiu brigar pela liderança por ter colocado o “pé no freio” e apostado na Copa do Brasil e Libertadores.

No total, o Grêmio somou 18 vitórias, oito empates e 12 derrotas no Brasileirão, além de 55 gols marcados e 36 sofridos. Mas vale ser ressaltado: o Tricolor atuou sem os titulares em 10 rodadas. Focado na Libertadores, as últimas três rodadas foram utilizadas por garotos da base, o que custou a vice-liderança – o clube gaúcho encerrou em quarto na tabela.

Mas quem foi o melhor jogador do Grêmio na competição? E o pior? Qual foi o melhor e o pior jogo? E a revelação? O GloboEsporte.com traz abaixo um raio-x da equipe.

Grêmio e Corinthians chegaram à 10ª rodada colados na tabela. Em casa, com a Arena lotada, o Tricolor tinha a chance de assumir a liderança – em segundo, tinha 22 pontos, diante de 23 do Timão. Porém, prevaleceu a frieza cirúrgica de um time que se acostumou a sofrer sem a bola durante 90 minutos. No início do segundo tempo, Jadson abriu o placar em chute no meio das pernas de Marcelo Grohe. Aos 37, veio a chance para Luan empatar, de pênalti. Mas Cássio defendeu. O Corinthians abriu quatro pontos de vantagem e nunca mais perdeu o primeiro lugar.

Em um jogo de muita ofensividade e cheio de reviravoltas, Grêmio e Cruzeiro empataram em 3 a 3 no dia 19 de junho, no Mineirão, pela oitava rodada. O empate, entretanto, encheu os olhos de quem acompanhou a partida. O Tricolor esteve com 2 a 0 a favor até o finalzinho do primeiro tempo, quando a Raposa descontou. No início do segundo, já veio o empate. Mas os gaúchos foram novamente para cima e fizeram o 3 a 2. Os mineiros venderam caro a derrota e conseguiram a igualdade mais uma vez. Depois da partida, o técnico Renato Gaúcho citou que havia sido a “melhor” do Brasileirão.

Em um São Januário com portões fechados, o Grêmio ainda tentava tirar a vantagem do líder Corinthians. Embora Renato Portaluppi tenha utilizado força máxima, o Tricolor mostrou dificuldade para furar o sistema defensivo do Vasco, na estreia de Zé Ricardo. Ao alertar a defesa gremista que estava saindo demais para o jogo, o técnico do clube gaúcho chegou a reclamar: “Se a gente tomar mais um gol, vocês vão ver o que é bom pra tosse!”. No final, o time teve posse de bola, mas pouco criou para evitar a derrota.

Miller Bolaños foi contratado a peso de ouro no início de 2016 junto ao Emelec como um dos melhores jogadores da América Latina. Logo na estreia, marcou contra a LDU, pela Libertadores, e despertou certa idolatria da torcida. Mas veio a cotovelada de William no Gre-Nal e tudo mudou, com uma temporada pouco aproveitada. Recuperou-se no Gauchão deste ano, virou artilheiro e embalou. Porém, teve uma lesão, foi para a reserva e conviveu com problemas pessoais até receber ultimato de Renato Gaúcho e da diretoria. Não havia mais clima para permanecer. No final de agosto, foi para o Tijuana, do México.

O ano foi dele, no Brasileirão ou no tri da Libertadores. Mesmo que o Grêmio tenha perdido o fôlego durante o nacional por causa da divisão de foco com a competição continental, Luan reinou absoluto na equipe de Renato Gaúcho. Se a bola não passa por seus pés, pouco do jogo flui. A movimentação intensa que abre espaços nas defesas adversárias também chama atenção. O destaque maior foi na quinta rodada, quando fez um gol e deu quatro assistências na goleada por 6 a 3 sobre a Chapecoense, na Arena Condá. Acabou com seis tentos marcados.

Nem no sonho mais profundo, Arthur poderia imaginar do ano que teria pelo Grêmio. O volante assumiu a titularidade “ao natural” e se firmou como um dos principais jogadores do time. Durante a premiação do Campeonato Brasileiro 2017, acabou eleito como revelação e entrou para a seleção da competição. Ainda teve nome lembrado por Tite e é especulado no Barcelona para a próxima temporada.

O Grêmio deixou escapar pontos preciosos pelo caminho que poderiam ter alterado o rumo do Brasileirão. O Tricolor teve garfo e faca em mãos diante do próprio Corinthians na Arena: mas Cássio defendeu o pênalti de Luan, e Jadson decretou a vitória dos paulistas. Em casa, o Tricolor também desperdiçou chance de vencer o Avaí, pela 12ª rodada, sem falar que um time formado por reservas chegou a abrir 2 a 0 em cima do Sport, na Ilha do Retiro, mas acabou derrotado por 4 a 3.

O destaque do Cartola: Geromel

“Apenas” o melhor zagueiro do game com média de 6,52 pontos em 20 jogos disputados. Por conta de lesão e da prioridade do Grêmio pela Libertadores, não foi utilizado mais vezes. Quando esteve em campo, correspondeu na maioria. Não fez gols, mas roubou 48 bolas e recebeu o SG em 11 partidas. O pouco número de faltas que cometeu (15) também foi importante para sua regularidade. Luan é outro que merece ser citado: terminou com a melhor média entre os atacantes do game: 6,45 pontos. Preço final: 13.91. O atleta também entrou na seleção dos melhores da competição.

Desde o início do Brasileirão, o Grêmio priorizou as disputas da Copa do Brasil, no qual chegou às semifinais, e também a Libertadores, competição em que conquistou o tricampeonato da América neste ano. Quando atuou com time principal, o Tricolor desfilou na competição com grandes atuações, chegou a ser chamado de “melhor futebol do Brasil, e se manteve na segunda colocação na maior parte da competição. O time de Renato Portaluppi deixa a impressão de que poderia ter brigado pelo título até o fim. Mas como contestar o planejamento de um campeão da Libertadores?

GE