X

Notícias

‘Piratas do Caribe’ estreia no topo da bilheteria brasileira

Dicas
-
29/05/2017 14:44

Quinto filme da saga levou mais de 1 milhão de pessoas aos cinemas brasileiros, desbancando 'Rei Arthur'. Com desempenho decepcionante nos EUA, longa se apoia em apelo internacional

Foto: Reprodução web
Legenda da foto

O quinto filme da franquia “Piratas do Caribe” dominou as bilheterias brasileiras em seu fim de semana de estreia no país. Com mais de 1 milhão de espectadores, a produção arrecadou US$ 18 milhões entre a última quinta ,25, e este domingo ,28, segundo dados da empresa de monitoramento ComScore.

“Piratas do Caribe: A vingança de Salazar” desbancou “Rei Arthur – A lenda da espada”, que ocupa agora a segunda posição, com 170 mil espectadores e renda de R$ 3 milhões no fim de semana.

A lista segue com “A cabana” (R$ 1,8 milhão), “Guardiões da Galáxia Vol. 2” (R$ 1,5 milhão), “Corra!” (R$ 1,2 milhão), “Velozes e furiosos 8” (R$ 844 mil), “Real – O plano por trás da história” (R$ 525 mil), “Antes que eu vá” (R$ 521 mil), “O poderoso chefinho” (R$ 462 mil) e “Alien: Covenant” (R$ 407 mil).

Apelo internacional

O quinto “Piratas do Caribe” é centrado nas batalhas do capitão Jack Sparrow com fantasmas de marinheiros mortos, liderados pelo Capitão Salazar de Javier Bardem. Joachim Ronning e Espen Sandberg dirigiram o filme, que também vê o retorno de Orlando Bloom e Keira Knightley, ausentes desde o terceiro longa.

A produção também liderou nos Estados Unidos, com US$ 77 milhões em um fim de semana prolongado. Mas o desempenho norte-americano foi considerado decepcionante: a menor abertura para um filme dos piratas, depois do original, que rendeu US$ 46 milhões em seu primeiro fim de semana (e foi o único aprovado pela crítica).

Com orçamento de US$ 230 milhões, o longa se apoia agora no apelo internacional para tentar lucrar. Ao longo do tempo, a saga tornou-se mais dependente da venda de ingressos no exterior. Segundo a agência Reuters, o estúdio deve rever seu orçamento de produção neste fim de semana, após analisar as vendas de ingressos a nível mundial. Se o filme for bem fora dos EUA, pode não ser a última vez que vemos o capitão Sparrow nos cinemas.

G1/Fronteira Online